Archive for junho de 2018

A massificação pode ser um abismo

    Os meios de comunicação são avassaladores. O poder dominante sabe disso. Movimenta-se com imensas propagandas, ocupando horários preciosos. Tenta vender um modelo e consegue convencer muita gente. Não se isola, quebra as críticas e ganha adeptos. Já havia muitas desconfianças, desde o século passado, que o mundo girava em torno das notícias. A […]

Read the rest of this entry »

O jogo é profecia coletiva

  Quem fala de surpresas resume muita coisa da vida. No jogo, sortes e azares se comunicam e derrubam os que mergulham na exatidão. A Argentina conseguiu sair do sufoco com a ajuda de Messi. Parecia que o caos estava consolidado. O time usou os impulsos do desejo e superou-se. Maradona puxou o delírio. Não […]

Read the rest of this entry »

Pertencimentos: amores, paixões, consumos

  Fala-se na rapidez. Nada permanece, tudo custa segundos. Não há como se segurar, pois as tempestades invisíveis ganham o mundo. Os intelectuais se lamentam  da fugacidade dos saberes. Como compreender  tanta complexidade e ainda exigir clareza das atitudes políticas?  Vivemos a falta de transparências ou ela nunca existiu ? Não me angustio. Os exageros […]

Read the rest of this entry »

As travessias de Neymar: fabricações da fama

    Neymar traçou um destino. Lançou-se numa aventura promissora.  A grana corre solta. Internacionaliza-se, busca vitrine e paixões globais. Aparecer é a palavra de ordem, mas a vida não é nada linear. Quando ele tropeça se lamenta e torna-se vítima. Não falta quem o julgue um gênio da boa. Não nego que joga muito. […]

Read the rest of this entry »

De onde vem a revolução?

  Os gregos aristotélicos não pensaram na revolução. Havia mitos e deuses com travessuras, mas nada de transformar radicalmente o mundo. A história passa. Nos tempos do iluminismo,a burguesia quis assegurar seu lugar político. Precisava tomar conta da sua riqueza, dá uma empurrada nas tradições da nobreza. Organizava-se para introduzir práticas diferentes, invadir a economia […]

Read the rest of this entry »

O machismo no espetáculo global

    Somos exportadores de machismo, atores de agitações inesperadas. É a nova revelação das redes sociais, indignadas com a ação de pessoas nada saudáveis.  Os vídeos circularam de forma provocante e vimos que há divisões. O machismo é um comportamento agressivo, mas cheio de adeptos. Não pense que houve uma grita geral.  Se existiu […]

Read the rest of this entry »

O ensino das histórias: finitudes e mesmices

    Não sei ensinar história sem pensar nas várias tramas didáticas que se divulgam. Há quem aposte numa cronologia do espetáculo. Escolhem guerras, elegem mitos, gostam da vaidades. Falta um debate ou uma reflexão sobre o significado do ser humano. O que queremos? Quais os nossos limites? Somos criadores ou criaturas? Perdidos, entre datas […]

Read the rest of this entry »

As nações existem ou se intimidaram?

  Ninguém discute que o capitalismo se expandiu. A globalização mostra que o mercado internacional se estreita e a cultura ganha uma massificação notável. Tudo gira na rapidez das comunicações, na ação das redes sociais, nas pressões constantes por novas tecnologias. O mundo entra na corrida, sem fim, para juntar capital, afirmar o reino das […]

Read the rest of this entry »

Não desconte a sua história, abandone seu pecado

  Se é preciso contar sua história, não se envergonhe, Há  também maneiras de se esconder e fugir do que acontece. A história está cercada de mistérios, Isso não justifica mistificações, nem aproveitamento de tecnologias de sedução. O poder não se solta da coerção. A violência está globalizada. No entanto, a história não constrói um […]

Read the rest of this entry »

Os namoros do consumo de Narciso

    Quem é lúcido não deve ficar atrás de verdades absolutas. A sociedade exige que as convivências se multipliquem e surjam surpresas. Não dá para formular regras definitivas. A história caminha com vacilações. Muitos aprendem com os deuses , outros ficam envolvidos com a arte. Há quem siga as travessuras dos demônios. Ficar extático […]

Read the rest of this entry »