Archive for novembro de 2018

Poema do ato

Não se engane com a lei da gravidade que esquece          a história dos invisíveis e decreta a morte da adivinhação.          Imagine a negritude que vem da luz e da sombra,          revelando e não inventando, encantando e não desprezando,           construindo a ponte adormecida na fantasia do infinito,           libertando a exploração da […]

Read the rest of this entry »

No meio do facebook e do mundo, o poder se anuncia

  Não sou um pessimista radical, mas acho difícil que a história seja um lugar de bons afetos generalizados. Há muita vaidade e busca de vitrine. As mudanças, nos meios de comunicação, possuem uma grande penetração na vida de cada um. As notícias correm, as liquidações atraem, os amigos contam os êxitos de seus amigos […]

Read the rest of this entry »

As ressacas da política: a conversa difícil

  Nada de novo no pedaço das tantas querelas políticas. Houve épocas de acirramentos e de debates não pacíficos. Gurras e perseguições. Hoje, as relações voltaram, porém, a esquentar. É complexo estabelecer uma conversa, quando se trata das medidas políticas. Há uma cegueira generalizada. As raivas e os argumentos pesados substituem a lucidez. Todos se […]

Read the rest of this entry »

Há gritos parados no ar: a frágil saúde política

  Não há sociedade sem política. Adão negociou com Deus e a serpente ficou perplexa com o fim do paraíso. Tudo fica nublado quando as opiniões ganham espaço agressivo. As novidades buscam criar situações tensas e as verdades submergem. O inferno produz inimizades, dizem os amigos do diabo. Há regras descumpridas e preconceitos ressuscitados. As […]

Read the rest of this entry »

Amores, paixões, disfarces, tropeços

O amor sacode a emoção. Não se pode negar que atua de forma marcante na vida. Mas há dificuldades de aprofundá-lo quando a sociedade se veste de mercadorias e celebra cinismos afetivos. Usa-se e abusa-se de uma esquema de propagandas que idealiza os atos humanos. O amor termina se transformando num carro confortável ou num […]

Read the rest of this entry »

A solidão e a beleza: as respostas do mundo

  Admitir a solidão parece ser uma aventura que nem todos conseguem enfrentar. Vivê-la pode causar transtornos e caminhos para depressão. Mas muitos artistas negam os ruídos e se entregam ao silêncio. Nada é absoluto, mas não custa escutar a voz na sua intimidade maior. Assim pensava Rilke. Ele não queria mudanças no mundo. Procurava […]

Read the rest of this entry »

O Brasil tem muitas repúblicas e dissonâncias

A história não se faz repentinamente. Há lendas e verdades que se dizem detentoras das ações humanas. Os sábios definem conceitos e se julgam donos do poder. observe o que se passa no Brasil. Os senhores da justiça gostam de firmar princípios como se fossem fundadores da nação. Esquecem que, por aqui, ainda existem escravos […]

Read the rest of this entry »

Quem se esconde, quem se revela, quem desiste?

    Faça a sua escolha. Não gosta de sair, esconde-se no seu labirinto, então não negue que a solidão é gostosa. Siga suas aventuras, mesmo que desconheça o caminho mais fácil. Curte o balanço, não esquece o celular, desenhe seus rastros no quarto íntimo, não se sufoque. Solte as amarras e procure companhia para […]

Read the rest of this entry »

A pós-verdade da superfície e da velocidade

  Os valores tradicionais se despedaçam e causam surpresas. O mundo é complexo. Tecnologias trazem pressa, querem respostas imediatas e exigem praticidades. Fala-se em correr atrás do prejuízo. Não há muita clareza. Cantam as vozes do pragmatismo. Querem vitrine. Olhem Moro. Observe como Jair se comunica. Não se desenha compromissos definidos. Joga-se no ar qualquer […]

Read the rest of this entry »

Conhece as aventuras do facebook?

  Conhecer os lugares do facebook é uma boa aventura. Não se surpreenda com as armadilhas. Há uma quantidade de pessoas tentando resolver seus problemas com papos amargurados. Os ressentimentos explodem e desenham dizeres nada simpáticos. No entanto, os homens gostam de tergiversar e sacudir fora seus lixos.Há solitários que não se resolvem e buscam […]

Read the rest of this entry »