Archive for janeiro de 2019

Os farrapos da verdade e as máscaras ativadas: ” A Era Trump?”

  A política tem  frequentemente inquietado. O século XXI se apresenta com surpresas. A perplexidade traz desconsolo para muitos. No entanto, não custa buscar um olhar histórico e observar como as relações vão se constituindo. Trump não surgiu do nada, nem atende apenas aos delírios dos mais cínicos. Construiu uma figura que atende lacunas que […]

Read the rest of this entry »

A história constrói o inesperado

    Os mistérios que cercam nossa vida nos incomodam. É uma afirmação talvez absoluta e pouco crítica. Há quem não se ligue nas dúvidas e sorria diante das questões. Os que acreditam ,numa vida eternam possuem outra respiração. Há sempre o que dizer, pois a história não se esgota. O diferente aparece, uns observam […]

Read the rest of this entry »

A tragédia não é incomum

    Há sempre sensacionalismo no jogo da mídia. Ela gosta de imagens inquietantes. Manipula bem os desejos da sociedade que não cessa de buscar novidades. Muitas notícias atraem e provocam expectativas. Será que o pecado é um produto humano? A natureza está arruinada? A tecnologia é uma dádiva? Quem acredita no compromisso dos governos? […]

Read the rest of this entry »

Quem compra a vida e não mede a dor?

  Aceitar as fragilidades é desafio. Queremos fixar memórias cheias de glória. Criam-se discursos que não dispensam as mentiras e buscam inventar ilusões. Desde as lendas do paraíso que a história não é, apenas, travessia linear, mas fugas de dificuldades crescentes. A capacidade de trabalhar, de formular sociedade com ordens estabelecidas não cessam de formar […]

Read the rest of this entry »

As narrativas da violência, do sufoco, da ilusão

    A disputa não foge da história. Não há períodos de sossegos profundos. As inquietações mostram que o descontrole  é comum. Não é à toa que se inventaram as utopias. Houve épocas de otimismo ou de ilusões com relação ao futuro. A construção da cultura acena com conquistas. No entanto, as ambiguidades continuam imensas. […]

Read the rest of this entry »

O jogo inquieto da verdade: lembranças nietzscheanas

  Nietzsche foi um crítico feroz das tradições ocidentais. Hoje, ocupa lugar de destaque nas tramas do pensamento atual. Um mergulho, nas obras de Deleuze e Foucault,  nos traz ecos das inquietações tão presentes nas últimas décadas do século XIX. Vemos permanências.Os argumentos de Nietzsche são retomados, numa reinvenção que surpreende os saberes contemporâneos.  A […]

Read the rest of this entry »

A sociedade do desempenho: solidão, desamparo, deboche

      O  capital pede trabalho, mas tende a desqualificá-lo. Busca-se uma alternativa para que tudo funcione sem abalar a situação dos que ganham muito. Há planos, desmentidos, jogos de peças inesperadas. A sociedade pode ser vista com várias cores, não há como olhar o mundo e submetê-lo a restrições imutáveis. Um caminhada pelas […]

Read the rest of this entry »

A política vacila: armas, palavras, desenganos

  Voltou-se a falar na morte das ideologias. Muitos desconhecem o conceito, mas se tornou um charme traçar seus males e destroçar seus possíveis significados. Um percurso globalizado e ativo que não se restringe aos fatos brasileiros. Bolsonaro assume com ruídos que alimentam delírios de Frota e fogo nas relações internacionais. Isso era esperado. Sai […]

Read the rest of this entry »

A droga mora na história

  O assunto é polêmico. Não foge de controvérsias incessantes.Mas há muita história que não deve ser esquecida, As sociedades nunca se recusaram às celebrações. Como viver sem festas, sem fantasias, sem ilusões? Quem gosta de mitologia observa como os mitos se assanham e curtem seus rituais. Não é recente o uso de drogas. Há […]

Read the rest of this entry »

J.M. Coetzee e a despoetização do mundo da mesmice

  Há muitas história soltas. A vida sempre pede narrativas. Não há como limitá-las. A imaginação corre solta e o mundo contemporâneo sofre de peripécias desafiantes. Portanto, é preciso que surjam escritores, que as palavras não se inibam e que as aventuras tenham marcas. Coetzee é um viajante das existências inusitadas. Sacode reflexões e metáforas […]

Read the rest of this entry »