Archive for novembro de 2019

A sensibilidade dói?

Se o mundo gira e nos traz sempre surpresas, os valores se balançam e a história visita abismos e constrói afetos inesperados. Não é proibido sentir, nem abraçar solidariedades. Porém, há tensões e estranhamentos que inquietam. O pior são as indiferenças. Há quem aposte no consumo das novidades e se banhe nas maravilhas das propagandas. […]

Read the rest of this entry »

Quem vende as notícias?

A palavra credibilidade se acha arruinada. As notícias circulam numa velocidade ditada por tecnologias nada dignas. A questão é impor poder, buscar fanatismo e estragar as instituições. O reino da incerteza se amplia, desfaz autonomias, concentra falsidades, É incrível com a política se esvazia com a falta de princípios, com exaltações salvacionistas e cinismos fabricados […]

Read the rest of this entry »

A difícil convivência

Cada um com suas questões. Somos diferentes,embora não vivamos sem o afeto dos outros. A história caminha nessa complexidade que não tem fim. Há muitas lendas sobre as nossas origens. Muitos elegem deuses, criam fanatismos, tornam-se escravos da fé. Isso não elimina as incertezas. O mundo está repleto de dúvidas, de ruínas, de desencontros. Houve […]

Read the rest of this entry »

Quem não conta a ambiguidade histórica?

As relações sociais se constroem com as idas e vinda do tempo histórico. Não deve haver um contar uniforme e cheio de celebrações imutáveis. As incertezas sempre fazem parte das travessias, as relações se transformam, há resistências e se multiplicam as teorias sobre as possibilidades de se firmar uma convivência social sem assombros. Mas as […]

Read the rest of this entry »

A dor da perda: a memória do nazismo

Li Afogados e Sobreviventes, livro do polêmico e corajoso Primo Levi. Analisa, sente, descreve o poder assassino das ações nazistas. O holocausto foi uma queda para se entusiasmava com a civilização ocidental. Quem duvidava da perversão se machucou. Hitler manipulou com uma esperteza incrível seus adeptos.Eram muitos e não inocentes. Aceitaram crimes dantescos, colaboraram para […]

Read the rest of this entry »

Quando a mercadoria se impõe

O capitalismo cria suas manipulações e procura firmar suas ideias. Existem seus parceiro entusiastas. A sociedade não vive sem concepções antagônicas. No entanto, há descompromisso claro com a coletividade. A desigualdade ocupa um espaço imenso. Há França, Brasil,Noruega, Chile, Espanha. O mundo é múltiplo e o ferimentos não são os mesmos. O capitalismo tem muitas […]

Read the rest of this entry »

As inquietudes da história

O tempo passa sempre arrastando sonhos, perdas, desprezos, ironias, lembranças… O futuro não possui uma medida exata, parece ter parceria com o acaso ou mesmo anunciar que o juízo final talvez esteja próximo. Sente-se uma diversidade de atmosferas que metem medo em alguns e traz suspiros de liberdade para outros. É um engano querer enquadrar […]

Read the rest of this entry »

Os descontos da verdade

A desconfiança se amplia de forma assustadora. Não se pode dar conta das ambiguidades crescentes na divulgação das notícias. As instituições fraquejam, a situação se enche de escândalos diários que não conseguem ser esclarecidos.É claro que há estratégias. Moro possui habilidades, os filhos de Jair não se cansam de provocar, a corda fica bamba. A […]

Read the rest of this entry »

O tempo pede a coragem

Há muitos esconderijos. A transparência é um mito mal arrumado para impressionar os ingênuos. Busque ouvir o ritmo do tempo, observe os silêncios e provoque dissonâncias. Saímos e entramos em labirintos, mas a profecia final nunca é anunciada.Há sempre a incerteza. A coragem não está em todos lugares. Os covardes se aproveitam dos esconderijos e […]

Read the rest of this entry »

O estranho Jair Bolsonaro?

As dificuldades de se avaliarem os passageiros do poder são visíveis. A história tem surpresas. Quem pode esquecer a violência de Hitler, as histerias de Mussolini, as perseguições no governo de Stálin, o imperialismo norte-americano? Sobram exemplos. Não adianta sacudir tudo na lata do lixo. A memória deve continuar acesa e os exemplos servem para […]

Read the rest of this entry »