Archive for janeiro de 2020

O amor não se costura, se borda

Ninguém consegue fechar uma definição para o amor. Adão e Eva deviam ter amplas discussões, Freud se atormentava com os complexos cotidianos, Nietzsche vivia especulando, Édipo simbolizou histórias de perplexidades. Não há registro de silêncios. Leia Mia Couto, Gabriel, Rousseau, Camus, Paul Auster. Quem se omite? Quem se conecta? Quem se agonia? Talvez, haja mais […]

Read the rest of this entry »

Tudo tem uma história

Não esqueça que a sociedade se movimenta.Ela constrói relações sociais, consegue aproximar valores ou mesmo anular memória. Não há um absoluto, um tempo interminável, perfeições permanentes. A história é um trapézio veloz e o futuro sempre cheio de incertezas. Existem os modismos, as aparências, as necessidade fabricadas, os interesses conflitantes. Os sonhos surgem e se […]

Read the rest of this entry »

Amanhã vai ser outro dia?

Chico fez uma música que sonhava com mudanças. Era uma resposta aos autoritarismos tão presentes na história. Apesar de você possui um lugar precioso nas lembranças inquietas. Não morre, anima, puxa esperanças, desarruma os acomodados. Chico é artista raro, profundo, comprometido, inventa e seduz. No Brasil, as políticas giram de forma surpreendentes, com se existissem […]

Read the rest of this entry »

Trump is Trump

Não se engane. Os governantes manipulam bem seus discursos e adoram criar situações para mostrar seu poderio. A política tem se viciado em farsas.Surgem palavras com dimensões imensas que confundem. Quem não fica perplexo com o significado de terrorismo? Ele se multiplica e serve aos senhores que querem intimidar o mundo. Trump é um deles.Assessora-se […]

Read the rest of this entry »

Os dez mandamentos!

1- Desconfie dos deuses que inventaram paraísos e assumiram o peso do pecado original para justificar regras e punições. 2-O próximo só existe se o abraço do afeto se estende e as intriga se anulam no cotidiano, 3. Não acredite na acumulação, nem festeje todos saberes inusitados da tecnologia com simulações de messianismos científicos. 4-Desmonte […]

Read the rest of this entry »

Infinitudes ansiosas

O espaço do universo é o desafio do infinito. Indefine cores, inventa arquiteturas, celebra o inesgotável. O espaço da vida é o tempo da história. Desfia cronologias, despe acontecimentos, festeja utopias. Não é a exatidão que consegue exprimir as acrobacias do do universo e da história. A palavra nomeia e aproxima, mas as tergiversações mostram […]

Read the rest of this entry »

As hienas não dormem

Há inúmeras formas de praticar a violência, Elas se tornam sutis com o desenvolvimento da tecnologia, Não há neutralidade. As relações sociais são relações políticas, trazem incômodos e intrigas e desenham tensões. A ciência não se organizou para definir uma história de paz. Muitos paradigmas anunciaram mudanças.Houve euforias, cantam o progresso, mas os colonialismos prosseguiram […]

Read the rest of this entry »

O limite e a história abraçam a vida

Quem acredita no destino, muitas vezes, se entrega às fatalidades. Não consegue conviver com surpresas, sente-se numa história programada e visualiza juízos finais. Cria-se uma cronologia de datas marcadas por acontecimentos inevitáveis. O fato é o fato e não a interpretação do fato. A história se torna um canto de repetição, lugar de desertos extensos […]

Read the rest of this entry »

Fundações da vida andante

A curta distância dos olhos da memória permanente deixa vadiar o sentimento pelos esquecimentos tardios. Não faço conta dos dias,  tampouco dos sonhos. As madrugadas perdidas parecem fantasmas parceiros do medo. Não projete o amor que não sabe nada sobre o sagrado, nem adore deuses que se escondem dos perdões cotidianos. Há na história  nuvens […]

Read the rest of this entry »

O delírio da felicidade comprada

A história corre por muitos caminhos. As desconexões inquietam, mas restam expectativas de tudo poder ser ultrapassado e o mundo se livrar de seus lixos. Nunca o pessimismo foi absoluto, A sociedades trouxe sofisticações. Entusiasmou quem festeja o narcisismo. Se a tecnologia difundisse saberes e riqueza, as relações passariam por transformações significativas. Talvez, o lado […]

Read the rest of this entry »