Archive for junho de 2020

As buscas e as histórias

Não há destinos determinados rigidamente. Poderia dizer que não existem destinos, mas criamos histórias com invenções e toques nas convivências cotidianas. Acordar significa que os acasos se acendem e as proximidades anunciam possíveis encontros. Busca-se. O controle sobre a vida é precário, no entanto o movimento nos leva para o mundo.Quem não quer construir sua […]

Read the rest of this entry »

Os amores desenham histórias

Conviver é uma busca de afeto. Nem todos conseguem parceiros que garantam solidariedade. A sociedade se multiplica rapidamente. Não faltam instituições confusas e tecnologias renovadoras.Mas nada consolida, para sempre, proximidades que provoquem alegrias e tragam generosidade. Nem tudo está cinza. Não se deve apagar as marcas da memória. Há lacunas imensas que inquietam. A história […]

Read the rest of this entry »

Lembranças leves de Descartes

Longe de mim, pretensões filosóficas ou reflexões metafísicas mais apuradas. Mas não custa viajar, lembrar-se das contradições da vida e das soberanias humanas.O homem é um animal racional, para alguns, pensa, inventa, gosta de malabarismos, sacode sentimentos, desfia. Animal complexo que interpreta tradições, refaz mitologias, não deixa de balançar a imaginação e ser surpreendido pela […]

Read the rest of this entry »

O incêndio das palavras

Não conte o que neutraliza a dor e valoriza a violência, Corte a história narrada pela fuga do cinismo e do ódio renasça, reinventando o tempo que fortalece a utopia. Não deixe o sonho se apagar nas mentiras das milícias traficantes surja no azul com as palavras que asseguram o encanto e não desperdice a […]

Read the rest of this entry »

Os fôlegos da história do eu

Estou meio tonto. Essa pandemia me tira de qualquer devaneio. Sei que o inesperado chega, não há história em linha reta. Reluto. Sinto agonias, vejo o céu azul chamando para o sossego, tergiverso. A complexidade imensa me faz mergulhar em visões tensas. Passei por momento instáveis, na saúde, que deixaram marcas. Não recuperei o fôlego.As […]

Read the rest of this entry »

O sonho corre,cansa, distrai

Não se vive medindo cada passo. Há quem acumule verdades e se sinta dono de dignidades que só ele vê. A convivência humana inquieta, pois não é algo que tenha valores únicos e isolados. Observe suas escolhas. Observe como parte povo francês se orgulha de seus pensadores. Observe quem ache desnecessário a honestidade e arquitete […]

Read the rest of this entry »

O mundo quer outra história

O caminho histórico segue abrindo expectativas inesperadas. Muitos dizem que iniciamos um outro tempo. Mudanças chocam.Preservam-se valores tradicionais. A complexidade cria pesadelos ,repentinamente, surgem notícias programadas.Tecnologias impedem liberdades e inibem protestos, mas as polícias não esquecem a violência física. A desigualdade aumenta as perseguições e as milícias investem com agressividade permanente. Será que há o […]

Read the rest of this entry »

Cada lugar conta sua história

Imaginou-se que a globalização traria harmonias culturais. Esperava-se trocas de experiências e possibilidade de eliminar preconceitos. Mas a globalização atiçou as manobras do capitalismo. As disputas se expandiram quebrando dignidades e justificando repressões.A mais-valia ganhou força, muitas armadilhas derrubaram convivências solidárias, a agitação das grandes cidades fragilizou o afeto. Criaram-se abismos urbanos e templos que […]

Read the rest of this entry »

O Brasil doente e confuso

Ninguém imaginava que a sociedades se desgovernasse com tanta intensidade.A queda de Dilma favoreceu ao crescimento das intrigas políticas e mostrou o desequilíbrios geral. Lula preso, as manobras de Cunha, Moro segurando a fama, fizeram o drama que se avolumava. Apareceu Jair com sua agressividade e surpreendeu. Ganhou as eleições, prometeu limpeza geral, nem tocou […]

Read the rest of this entry »

Meu caminho na história

Quando era pequeno não pensava que seria historiador. Tinha base numa família rural, muito ligado à cana-de-açúcar. Todos afetivos, muita conversa e aquela atmosfera diferente das esquisitices de hoje. Mas o tempo passou, terminei fazendo graduação em Direito. Não me satisfazia com as discussões jurídicas. Comecei , com 20 anos, a ensinar História,Entrosei-me. E segui […]

Read the rest of this entry »