A corrida para conquistar o Brasileirão: disparadas e decepções

A disputa , por ponto corridos, deu outra vida ao Brasileirão. Muita gente é contra, mas as partidas são mais valorizadas e a torcida se sente contemplada de forma mais justa. Recentemente, tivemos uma parada, na competição, que trouxe expectativas. Clubes que estavam, lá atrás, se acederam com a possibilidade de novas contratações e construir a reviravolta.

Falta muito para a decisão. O Fluminense, porém, deu uma disparada boa. Formou um elenco respeitável, conta com a liderança de Muricy e segue equilibrado nas suas atuações. Distanciou-se até do segundo lugar, deixando os corintianos chateados. Eles perderam para o Avaí, apesar da luta nos minutos finais e ajudaram o Flu a se fixar na liderança.

Há equipes que estão afastadas, dos primeiros, e surpreendem pelo futebol de baixo nível. Um exemplo é o Grêmio. Talvez, Renato possa levantar a esperança, com seu discurso do afeto e do compromisso. Ganhou do Goiás que também se encontra numa situação difícil. Leão que o diga. Junto, com o Atlético de Luxemburgo, buscam sair do naufrágio total.

Quem se animou, com as últimas vitórias, foi o Botafogo. Seu ataque é veloz, possui reservas motivados e pode chegar na ponta da tabela. O mesmo não ocorre com o Flamengo. Vive uma instabilidade incrível. Suas vitórias são sofridas e parece que esqueceu que foi campeão em 2009. Os escândalos mexeram com a alma do time da Gávea. Não é brincadeira.

O vaivém do futebol é veloz. O Santos pousava como a maravilha do mundo, deslumbrando e andando de sapato alto. No entanto, embriagou-se demais. Seus jogadores ficaram atônitos com tanto sucesso. Manobram para jogar na Europa. É um sonho avassalador. Controlar os meninos da Vila é tarefa ingrata e educativa.

Os desencontros merecem especial escuta. Felipão voltou, falando grosso, como redentor do Palmeiras. Prometia diluir o presente, tão cheio de derrotas, e crescer retomando as glórias do passado. Não aconteceu como esperava. Precisa de um elenco mais hábil. Reconhece as dificuldades, mas se mostra irritado.

Cada um com suas tormentas. O São Paulo tem feitiço, pois não deslancha. Iniciou, domingo passado, marcando gol contra o Cruzeiro. Não sustentou o placar. Para seu consolo deu empate de 2×2. Para onde vai o tricolor depois de tantos investimentos? Que bruxa anda pelo Morumbi?

A grande surpresa é o Avaí. Não se atemoriza com os chamados grandes e faz  a festa. O Ceará estava numa boa jornada, mas se contamina, negativamente, com a ausência de um time, com elenco consistente, e as mudanças de técnico. Os clubes impacientam-se diante de qualquer fracasso. Querem milagres e culpam os treinadores. Uma história repetitiva e um grave sinal de incompetência.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>