A curva da solidão

Não queira a solidão que se retrai e se envolve com medos perenes.

Pense que a vida não é apenas o fluir das interioridades escondidas.

Nas histórias vividas há encontros que não se vão e saudades que buscam

permanências e afetos encantados, brincando com calendários impossíveis.

As ambiguidade soltas não são testemunhas do acaso, das eternidade vadias.

Cada tempo veste seu manto e borda seus mapas sem fronteiras

nos espaços que sobram para esticar os sonhos.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

2 Comments »

 
 

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>