A grade e as palavras

A grade se fecha para que a ilusão não fuja.

Tudo isso  é uma pequena metáfora,

mas como não viver sem metáforas, curtindo o concreto gelado?

A vida é acaso inquieto, profecias perdidas nas conversas,

palavras decifrando agonias e provocando escândalos.

Alguém guarda espertamente o segredo de um mistério impreciso,

sem saber que há um engano que anula sempre o ponto final e

faz da ruína a arquitetura mais celebrada do efêmero.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

2 Comments »

 
 

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>