A invenção do sonho

                                        

Dá para comandar seus sonhos: entenda o sonho lúcido e como ter um -  13/11/2019 - UOL VivaBem

          

Se a humanidade se fez com autonomia, escolhendo seus planejamentos, é difícil saber. Há muitas surpresas na história, portanto, não podemos dominar seus atropelos e se sente que o medo se alarga em épocas inesperados. Lançar-se para o futuro é uma grande adivinhação. Não existe certezas, mas especulações que circulam apressadas. As narrativas do passado trazem deuses e mitos e avisam que tudo se repete, apesar da ciência e da arte. O que parece uma novidade, talvez seja um grande disfarce.

É impossível não sonhar. A imaginação está sempre perto, empurrando, refazendo a memória. Não adianta inventar uma geometria plana, nem considerar a tecnologia com fabricação de mundo ligado a um equilíbrio. Quem não desconfia? Mesmo com aproximação das culturas prosseguem os estranhamentos. As ideias de progresso e luzes esclarecedoras se encontram bastante ameaçadas. Confundem.

As dificuldades são incessantes, porém jogar fora a esperança é suicídio. Se a eternidade ainda apaixona é porque as histórias devem continuar. Afirmar que as pedras se afastarão dos caminhos estica a necessidade de manter o sonho. É preciso não esgotar o risco. Ele compõe as travessuras do sonho. As portas fechadas merecem atenção. O perigo é o cuidado excessivo com as profecias. A sorte e o azar estão por aí.

Dói enfrentar as idas e vindas. Como construir um calendário fixo? Estamos no meio do destino, com raízes definidas? A história não é destino. Ela não dispensa malabarismos. Não é sem razão que existem politeísmos, salvadores encantados. Há quem acredite e escorregue. Os anos passam, muitas vezes, como séculos. Há semanas que querem terminar. Tudo se agravou com as manipulações. O mundo globalizado é labirinto com espelhos coloridos.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>