Afetos mortos

     Desatravesse as curvas de um passado distante.

Não negue que o tempo tem definição pronta

e olhe o outro no espelho da vida que atiça.

O mundo se enche de acumulações vazias,

de mentiras que castigam inocentes e vadios.

Não aposte no futuro desencontrado

e conte o avesso  dos preconceitos medonhos.

Desmanche a história que se abraça com a culpa.

 

Share

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>