Amanhã será outro dia?

Tenho excelentes lembranças dos festivais de música popular do século passado.Focarei na figura de Chico Buarque. São inesquecíveis o lirismo e a força do sentimento de cada canção de Chico. Gosto muito de Roda Viva que traduz as ambiguidade da vida.Elas revelam a incompletude humana, deixam ritmos belos que se estendem por cada época dos sentimentos. Na sua parceria com Jobim, Sabiá adormece no encanto, coisa de magias eternas. Chico, o menino da criação, diziam.

Mas o tempo passa, a ditadura atormenta, a censura restringe.Era complicado se situar, ver as repressões, refletir sobre tantos desmandos. Chico não ficava só nas paixões. Fez letras que criticavam os governos, não fugia das perseguições policiais que alteravam o contexto da arte e oprimia sem cerimônia. Chico anunciou contradições, não negou a coragem e mandou notícias sobre as trevas das administrações militares. Não só ele. Apesar dos atos nada simpáticos dos donos do poder, havia muita invenção musical e desejo de transformar o Brasil.

Chico, na sua revolta, lutava por um outro amanhã. Incomodava os donos do poder e agitava os apáticos, provocava com as possibilidade das eleições diretas, não deixava de se aliar aos mais afinados com a democracia. A dureza persistia, porém as vozes de Caetano. Gil, Vandré marcavam seus tons. Era preciso desbancar as mentiras, jogar fora as armas e caminhar para caminhar para vitória, retomar a alegria, desmontar quem curtia vantagens com a violência, propagando um nacionalismo doentio..

Chico tem uma vasta obra, entrou pela literatura e sempre quis um país digno. Atualmente, as tensões se multiplicam. Ninguém sabe de onde surgiram tantas milícias. Não falta um populismo cínico e famílias que incentivam transtornos nas intrigas políticas. Há um esvaziamento de esperanças que entristece. Amanhã vai ser outro dia vem de longe animar a memória dos mais ousados. A música não morre quando se liga à coletividade. Chico continua firme. Não engana, mergulha na coerência, não se omite..

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>