As escolhas e o efêmero

Os amores costuram os tempos e multiplicam os segredos.

Os sentimentos não descansam e correm além das fronteiras.

Não se desapegue das histórias que apenas trazem fantasias,

a vida não se resume a desenhos exatos e lineares.

Há nas palavras inventadas significados e ânimos,

o caos é sinal de que mudança não se esgota,

as incertezas são os limites que não sossegam.

Não escolha o eterno, deixe que o efêmero flutue como um folha solta.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>