As multiplicidades do mundo

Talvez, tenha havido um mundo de águas limpas, com pomares sedutores. Depois, apareceram deuses gananciosos em busca de tesouros. Queriam inventar um ser que surgisse com lucidez para se multiplicar e criar imagens contagiantes.Mas falam também de Adão e sua mania por frutas vermelhas. Quem saber se não era o sucessor dos deuses.E a culpa? E o pecado original? E as astúcias de Zeus? Tudo com espelhos, pendurados e brilhantes.

Não sei. Existem muitas lendas e fantasias.Difícil tornar transparente tanta complexidade. Se contemplo as avenidas, os passos apressados anunciam negócios. Não sei quem possui a verdade, qual a dimensão mais exata dessa palavra. Escrevo para imaginar ou refinar a imaginação. Estou longe das ambições dos poetas trapezistas. Voam com suas gramáticas carregadas de mitos. São senhores de nostalgias. Fico com a solidão e algumas visitas nas praças amarelas e vermelhas.

O desejo é múltiplo. Não pode deixar de acompanhar o mundo. No entanto, as fragilidades causam desencantos. Há governantes cínicos, espantos assassinos, espertezas soltas por maldades frequentes.Sempre a mistura para atordoar e desconfiar do coletivo anônimo. Vencem , nas intrigas, aqueles que usam armas sujas, perpetuando uma violência que lembra Caim. Quem se acanha, se distrai e se desliga das ousadias.

Muito se conta, muito se perde. A vida segue se jogando por noites tenebrosas ou acompanhando estrelas apaixonadas Pergunto o que mais me fascina ou quem deveria dominar o mundo? Resposta sem eco. Nada sei do que tudo sei. Confusas são horas de reflexão. Não curto a rapidez. O drama é gigantesco. Existem mundos passeando por um universo sem cor definida. Talvez, Prometeu se envolva com segredos essenciais e, um dia, limpe a poeira da dúvida. Siga em frente.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>