Bolsonaro: o mágico do caos?

Resultado de imagem para jair bolsonaro

Quem despreza a memória pode cair no pântano. Muitos adoram salvações, pois fogem das responsabilidades. A culpa amedronta e a reflexão dói. Na época de eleições  os debates se acendem. Nada de mal, trazem crítica e convivências. Passamos porém por uma situação confusa. Aparecem os sinais de ideais fascistas, populismo e se articulam greves obscuras. Quem sabe ao que estamos assistindo? A imprensa já inventou um anarquismo de direita. Nunca vi, desconheço e acho uma aberração. Os anarquistas seguem caminhos que não contemplam a ordem e o progresso. Não celebram autoritarismo. Entraram , em choque, com as estratégia bolcheviques e foram perseguidos. Quem estuou a história do movimento operário não entra nos fakes dos jornais.

O Jair tornou-se uma vedete. Dizem  que é carismático e atrai muita gente. Desfila como se fosse futuro presidente. Não brinco, nem esmago o impossível. Lembro-me de Collor, Hitler, Salazar… Há quem aposte que Jair  declinará. Espero que aconteça. Carrega preconceitos e violências. Não é o discurso racional de Ciro que o jogará no lixo. Jair se apresenta como herdeiro da espontaneidade. Não nega que gosta da tortura, defende  o passado sanguinário. Há quem esqueça do que foi os governos militares. E a escravidão, o Estado Novo, a repressão contínua nas delegacias? O Brasil escorrega, não possui estrutura partidária, sofre com o capitalismo medonho das suas elites

As estatísticas apontam que a população anda por estradas sinuosas. A mídia não se cansa de espetáculos mesquinhos, manchetes assustadoras, opiniões condenáveis. Era ótimo que houvesse teorias democráticas! Como encontrá-las? Nunca conseguimos, nos tempos de Temer, segurar o mínimo de dignidade. Tudo é fugaz. Temos Jucá, Renan, Cunha, e tantas  figuras danosas. Sérgio Cabral acabou com o Rio de Janeiro. Não estava só, era uma quadrilhas. Barbosa se escondeu. Por quê? Não adianta orações piedosas. As igreja querem profanações, ocupam cargos, se sentem enviados pela graça divina. Já escutaram o que dizem certos evangélicos?

Não custa animar o corpo, expulsar a preguiça da cabeça e evitar que as máfias dominem a sociedade. Os Estados Unidos fundam notícias para enfraquecer quem possui petróleo. Por isso, não perdem tempo e  minam a resistência dos árabes. E a eleição de Trump não traz certa dúvida e desenhos esquizofrênicos? O mundo está num sufoco grande, virando uma curva quase mortal. Não subestime o conservadorismo, não ria das piadas do Jair. A Europa está enrolada, buscando resolver a situação dos refugiados e os ataques terroristas. 1968 completa 50 anos, mas poucos se debruçam sobre as suas histórias. As ruínas são visíveis. Os salvadores enfeitam ilusões e encontram espectadores. O planeta terra adoece na enfermaria de um hospital público.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>