Archive for the ‘sem categoria’ Category

As mulheres (re)inventam o mundo e a escrita

                  Quem escreve não fecha porta para os outros. É sinal de que a imensidão do mundo não intimida. Ela desafia o contato com a aventura e o estar bem com os outros. A escrita exige paciência. Ela possui regras e intuições. Brincar com as palavras é jogo sutil, lança nomes para possíveis […]

Read the rest of this entry »

As águas mudam de ritmo e causam tensões

A música de Tom Jobim, Águas de março, merece ser ouvida infinitas vezes. Uma letra renovadora, animando os ritmos e trazendo a natureza para ser cantada. Consegue construir entrelaçamentos surpreendentes e mostra seu cuidado com o equilíbrio do mundo. Sua interpretação, junto com Elis Regina, toca o coração, atiça sentimenos e relembra os tempos da […]

Read the rest of this entry »

A invenção do método é uma saída para vida?

Descartes refletiu muito e perdeu  noites de sono. Queria superar verdades estabelecidas Tinha a razão acesa para redefinir caminhos que vinham marcando o Ocidente , desde a época de Aristóteles. Sentiu o mundo inerte? Desfazia-se em angústias de fracasso? É difícil fazer a análise do pensador francês, depois de tantos séculos. Visitar a interioridade é sempre […]

Read the rest of this entry »

A intimidade se veste no espetáculo do mundo

                 Percebe-se que a sociedade se agita, quando o Big Brother começa sua jornada na Globo. Nem todos se comovem, mas o público é participante e numeroso. Não, apenas, as pessoas, no Brasil, gostam de visitar as intimidades dos outros. O mundo se escancarou com uma nudez que espanta os mais tímidos. Os  […]

Read the rest of this entry »

A maratona desgasta e tira a arte do futebol

Segue o campeonato pernambucano. Elogios para a presença do público, entusiasmado e mostrando suas paixões pelo futebol. No entanto, é preciso muito líquido para aguentar a sequência de jogos. O intervalo é mímino e o calor ameaça o fôlego. Os times, que se anteciparam na preparação, levam vantagem. Correm os dois tempos, com mais disposição. Acho […]

Read the rest of this entry »

As repetições ganham espaços e monotonias ?

A criatividade tem seus limites. Não está em toda parte. Há quem a negue e a conceba como coisa dos deuses. Nós, na incompletude comum, ficamos presos às imagens,sem ousadias. Muito pessimismo ou descaso com a cultura? Existem as repetições e a falta de ânimo para transgredir.Gosto de fazer uns testes. Correr certos riscos, sem […]

Read the rest of this entry »

As dores relembram perdas e pedem abraços

Os acontecimentos do Rio de Janeiro trouxeram convivências com abismos e medos. Muitas fragilidades. Um abalo na vida social que  atingiu até o mais tímido solitário. Não, apenas, no Brasil o sentimento de dor se expandiu. O mundo não está protegido dos descontroles, nem tampouco a natureza organiza um calendário de tragédias. Evita-se alguma coisa, quando se tem cuidado […]

Read the rest of this entry »

A solidão caminha com cadências e fundamentos

          Há  esportes que ignorava. Não entendia, nem me emocionava com suas jogadas. Ficava desconfiado. Lembrava-me das torcidas, das minhas ligações com o futebol e firmava minha antipatia pelo tênis. Mas o tempo e a vida se sacodem. Comecei a ser mais paciente. Observava a ação dos tenistas, buscando ensinamentos. Partidas longas, fisionomias sérias, público […]

Read the rest of this entry »

Quem voa e inquieta-se na magia das palavras?

  Escrever não é tarefa sem propósito. É um traço forte da cultura. Gostar de escrever tem mais significados. Ganha encanto e magias. Ninguém garante que as palavra serão bem acolhidas. Mas se escreve para o mundo e não se é dono dos textos. As intenções existem, podem exprimir amarguras, solidariedades, críticas, desamores. Tudo é […]

Read the rest of this entry »

Famas e descontroles: esperanças soltas e vadias

           Amy Winehouse polemizou, mas deu seu recado. Não segue expectativas definidas. Pode fazer a multidão delirar e ficar perplexa, com sua voz sedutora. Nem tudo é perfeito. Esconde-se, mostra-se apática ou movida pelas energias das drogas. Espalha mistério e seus fãs não perdem os detalhes dos seus shows. Brinca com o sucesso. Deixa o […]

Read the rest of this entry »