Archive for the ‘sem categoria’ Category

A vitória da Argentina e os olhares de cada um

Nada como não deixar o coração no sufoco. Perder faz parte da vida. É uma lição que sacode sabedorias e acalma emoções. No entanto, as derrotas causam sobressaltos. Muitos ficam incomodados e concentram raivas. Negam perdão e se entregam aos pesadelos. O jogo entre Brasil e Argentina foi o assunto da semana esportiva. Teste fundamental […]

Read the rest of this entry »

Diálogos, escritas, esportes: encontros com a vida

Escrever é manter-se vivo e esperto. Pelo menos, assim penso. Gosto das palavras. Não vivo das suas abstrações, não as vejo como sinais ou rabiscos. Elas expressam sentimentos, experiências, projeções. Poder parecer um exgero, mas as palavras conduzem culturas e instituem valores. Escrever é dialogar, é uma afirmação da sociabilidade, esteticamente digna de celebração. Quando […]

Read the rest of this entry »

As rivalidades não cessam de aquecer o cotidiano

  Na pressa costumeira, as notícias enchem jornais com novidades frequentes. Muitas invenções, filmes de bilheterias afortunadas, separações de astros consagrados, negociações sobre as instabilidades no câmbio. Não cessam as rivalidades. A competição tem um amplo lugar, quase inquestionável, em regiões e cidades.Vivemos sob a hegemonia do capitalismo. Seria estranho haver sossego contínuo. Não sei […]

Read the rest of this entry »

Há muitas repúblicas nos espaços do mundo

Ontem, o Brasil comemorou mais um ano de República. As datas históricas lembram trajetórias, sempre atreladas à capacidade de recordação coletiva dos feitos heróicos e retumbantes. Talvez, exageremos na ironia. Ninguém esconde a memória sem punição. As ações possuem significados. Houve muita frustração na época. Os mais radicais esperavam leis democráticas, partidos comprometidos com justiça social, […]

Read the rest of this entry »

Os sonhos flutuam nos tapetes mágicos da vida

Quem parte sabe qual o destino perseguido? Qual o significado de viajar pelo mundo desconhecendo os caminhos de chegada? Quem cultiva o sonho convive com o medo e o desespero ou mergulha em fantasias coloridas e brilhantes? Nem sempre quem parte visualiza seu desembarque. Pode ficar à toa, sem escolher o lugar definido, esperando algum sinal […]

Read the rest of this entry »

O vôlei ganha espaço e o espetáculo se multiplica

          O vôlei faz sucesso. Já consegue seduzir os antes fanáticos pelo futebol. Consegue ganhar títulos seguidos e animar torcidas bem-comportadas. Seus caminhos são outros, perspectivas e formação profissional  com outras ambições. Cabe, como poucos, nos esquemas de transmissão das televisões especializadas. As paixões esportivas respondem aos sentimentos da época. Elas mudam, junto com os hábitos […]

Read the rest of this entry »

Os caminhos tensos do título e da consagração

A arrancada final ganha fôlego. As conversas crescem sobre quem merece a vitória. Parece que todo o passado se desmancha. Não se soma, porém a construção dos tempos tem ritmos . Por isso, as ruínas se mostram, rapidamente, mesmo depois das conquistas valorizadas. O caso do Flamengo é um exemplo. Hoje, o clube teme cair na desclassificação. Quem se lembra […]

Read the rest of this entry »

A barbárie refinada do mercado veloz da bola

O futebol brasileiro é barulhento. Seu destaque no noticiário é visível. Há dias que as suas manchentes dominam a primeira página dos jornais. Não se pode negar que se formata uma vitrine, para encaminhar e trocar valores. O mundo da especulação não se resume às histérias das bolsas de valores. Tudo está contaminado pela volúpia dos lucros. […]

Read the rest of this entry »

Quem dança o último tango no suspiro da decisão?

No final do ano, as decisões aparecem frequentemente. O calendário tem  valor simbólico,  pois a vida se compõe de ritmos descontinuados. As datas servem como referências, mas o emocional balança com seus próprios signos. Os dois últimos meses do ano anunciam as festas e as compras. A agitação faz parte da tradição e as vitrines se […]

Read the rest of this entry »

O circo não é de lona, a bola perde-se na arena

Nada de discursos de apologia ao passado. Acredito em mudanças, não fico chorando de saudades, porque existem paisagens de concreto soberanas nas formas urbanas. Tenho certas antipatias pela exaltação desmedida do progresso, sobretudo aquele coberto de acumulações e utilitários. Sei que o equilíbrio é uma utopia. A balança sempre se descontrola. Não custa, no entanto, imaginar […]

Read the rest of this entry »