Archive for the ‘sem categoria’ Category

A solidão e a beleza: as respostas do mundo

  Admitir a solidão parece ser uma aventura que nem todos conseguem enfrentar. Vivê-la pode causar transtornos e caminhos para depressão. Mas muitos artistas negam os ruídos e se entregam ao silêncio. Nada é absoluto, mas não custa escutar a voz na sua intimidade maior. Assim pensava Rilke. Ele não queria mudanças no mundo. Procurava […]

Read the rest of this entry »

O Brasil tem muitas repúblicas e dissonâncias

A história não se faz repentinamente. Há lendas e verdades que se dizem detentoras das ações humanas. Os sábios definem conceitos e se julgam donos do poder. observe o que se passa no Brasil. Os senhores da justiça gostam de firmar princípios como se fossem fundadores da nação. Esquecem que, por aqui, ainda existem escravos […]

Read the rest of this entry »

Quem se esconde, quem se revela, quem desiste?

    Faça a sua escolha. Não gosta de sair, esconde-se no seu labirinto, então não negue que a solidão é gostosa. Siga suas aventuras, mesmo que desconheça o caminho mais fácil. Curte o balanço, não esquece o celular, desenhe seus rastros no quarto íntimo, não se sufoque. Solte as amarras e procure companhia para […]

Read the rest of this entry »

A pós-verdade da superfície e da velocidade

  Os valores tradicionais se despedaçam e causam surpresas. O mundo é complexo. Tecnologias trazem pressa, querem respostas imediatas e exigem praticidades. Fala-se em correr atrás do prejuízo. Não há muita clareza. Cantam as vozes do pragmatismo. Querem vitrine. Olhem Moro. Observe como Jair se comunica. Não se desenha compromissos definidos. Joga-se no ar qualquer […]

Read the rest of this entry »

Conhece as aventuras do facebook?

  Conhecer os lugares do facebook é uma boa aventura. Não se surpreenda com as armadilhas. Há uma quantidade de pessoas tentando resolver seus problemas com papos amargurados. Os ressentimentos explodem e desenham dizeres nada simpáticos. No entanto, os homens gostam de tergiversar e sacudir fora seus lixos.Há solitários que não se resolvem e buscam […]

Read the rest of this entry »

As dificuldades e os enganos do criador

  Inventar a história é uma tarefa sem fim. Nem Sísifo, gostaria de enfrentar tanta dificuldade. Não sei quem criou espetáculos incríveis, naturezas fantásticas, seres narcisistas, violências frequentes, erotismos múltiplos, cretinices sofisticadas. O dicionário é imenso. O mundo é vasto, o criador cansou e desapareceu. Aparecem outros, com sentimentos renovados e promessas estéticas maravilhosas. Já […]

Read the rest of this entry »

A dança da política destrói confianças

    Jair busca construir um ministério dentro das promessas da sua campanha. Seus eleitores deliram com a aceitação de Moro, o herói festejado. É uma grande armadilha. Não me surpreendi. A vaidade é sedutora, segue articulando desejos e enganando ingenuidades. Muitos consideram Jair um messias. Já ouvi pessoas dizerem que é um enviado. Coloque […]

Read the rest of this entry »

Você tem medo de quê?

    A temporada das tempestades não terminou. A política não morre com as eleições. As intrigas estão armadas, as vaidades desfilam e o poder seduz. Jair buscar criar forças, agradar aos seus seguidores. Parece que está decepcionando alguns. Faz parte da ambiguidade. Nada será como antes. Já houve contactos com Moro e a gritaria […]

Read the rest of this entry »

As escritas da política e as escritas do mundo

  O domínio sobre o que está escrito é polêmico. A história namora com o acaso. Criam-se expectativas que morrem antes de qualquer suspiro. A política é campo de incertezas. Aparecem figuras obscuras que seduzem. Outras acertam pacto democráticos, mas não conseguem superar. Portanto, o voto é turbulento. As viradas surgem, porém não estamos livres […]

Read the rest of this entry »

Os caminhos longos da história

    Tudo passa, fica a memória. As agitações se suspendem, os robôs silenciam, as ressacas acontecem. Muitos se enganam no calor da luta. O humano é cheio de acrobacias. Perde-se, depois procura o  sonho, cai no abismo, dorme inquieto. Não tem como calar de vez a história. Ninguém conhece seu ponto final. Prometeu se […]

Read the rest of this entry »