Archive for the ‘sem categoria’ Category

A sociedade não consegue decifrar esfinges

      O futuro se distancia. Não trata de distâncias físicas. Morrem sonhos, o presente vive tormentos e voltam  valores nada solidários. Não se mire apenas no Brasil. Temos figuras deploráveis ditando normas. As instituições que pareciam sólidas caem no jogo dos disfarces e as milícias afirmam espaços de violências assustadoras. As  passeatas revelam […]

Read the rest of this entry »

O relativismo e as andanças da verdade

    A modernidade  quebrou  tradições seculares. Aquelas hierarquias feudais se foram, para que a sociedade de classes se instalasse e as revoluções se tornassem animadores. Havia expectativas de transformações radicais. Não como há negar que a sociedade passou por mudanças importantes. Cada cultura incorporou valores com possibilidades de viver liberdades e duvidar de preconceitos. […]

Read the rest of this entry »

Invente-se: A competição afasta e oprime

    A sociedade acelera suas demandas. Os deslocamentos são grandes e afugentam os acomodados.Eles pedem rapidez. Criam opressões, para aumentar corridas e estimular o apego ao sucesso. Portanto, o outro pode se tornar um obstáculo, numa estrutura de competições. Não se assuste com as ilusões de empregos maravilhosos. É o jogo para amortecer os […]

Read the rest of this entry »

O Brasil acima de tudo: religião manipulada

      A história conta lutas nacionalistas que salvaram situações escravizantes. Os imperialismos são danosos, pois negam solidariedade e investem na opressão. Não é sem razão que combates surgiram, denúncias continuam sendo feitas e rebeldias se armam contra explorações que inundam o mundo para concentrar riquezas. Temos que observar como as ideias são propagandas, […]

Read the rest of this entry »

Há dores e tormentos na solidão escondida

  As exigências são muitas e elas percorrem o cotidiano. As pessoas perguntam, mas também se escondem. As competições pedem máscaras de todas as cores. A sociedade se torna espaço de uma crescente hipocrisia. Valem disfarces assustadores. Há quem curta estar sempre bem composto, vendendo sorrisos e afastando  qualquer ideia pessimista. O labirintos não tem […]

Read the rest of this entry »

O peso das utopias revolucionárias

  As frustrações políticas trazem tensões. Busca-se inventar um messias ou se cai em populismos infantilizados.A sociedade vive momento de desequilíbrios dantescos. Não se estimula o diálogo, mas a intriga e a festa irresponsável nas redes sociais. Há perplexidades, pois não se discute o tamanho das mentiras. As palavras pesadas são utilizadas por governistas com […]

Read the rest of this entry »

Poema da luta e das noites de Scherezade

      Não  há uma ternura  que corteje a violência sem vacilar, ela vive acidentes, perde-se no meio  de acasos, desconsola-se. Quem conta a história não navega num único oceano, mas não apaga  a tempestade, nem se espreguiça na calmaria. O ruído da solidariedade está desenhado em todas as paredes inquietas, não é som, […]

Read the rest of this entry »

Desmoronamentos de astúcias programadas

    A sociedade gosta de ídolos. Quem não quer a salvação? Quando se encontra frágil busca mitos representativos das angústias. Há momento de adoração, de biografia encantadoras ,de sorrisos gratuitos.Moro apareceu como um soldado da moral. Tinha leis poderosas. Prometia inibir um figura que, para muitos, continua perigosa. Fez sua missão com aplausos. Colocou […]

Read the rest of this entry »

Construir as histórias, inventar as culturas, costurar a dignidade

    A memória nos traz o movimento da vida. Pode reforçar nostalgias, desencontrar-se com acontecimentos. Ela é seletiva, não se seduz pela linearidade. Lembra e esquece. Não é simples e ajuda a construir sentimentos. Portanto, não há como pensar  a história sem a companhia da memória. Temos que olhar o fazer, o desmontar,o desconstruir. […]

Read the rest of this entry »

A luta anarquista, a desigualdade histórica, o livro de Hans Magnus

    O anarquismo não conseguiu as vitórias que imaginava. Possui, ainda, uma visão otimista das possibilidades de superar os impasses sociais. Mas nada garante mudanças. As travessias da história  não fogem da exploração. Muita violência, competições sofisticadas,  dureza nos negócios. O espaço para igualdade diminui, em  alguns aspectos,apesar das manipulações feitas para naturalizar preconceitos […]

Read the rest of this entry »