Archive for the ‘sem categoria’ Category

O tédio visita a vida?

As perturbações estão presentes de forma agressiva. Jair afirma que não é coveiro, faz da contradição sua moradia e do ruído seu lazer. Possui plateia, recebe filmagens, voa. Figura dura ou flexível? Existem muita hipocrisia e religiões querendo competir com as manobras capitalistas.Estamos no isolamento. Imaginamos um tempo que parece não tem fim. Há quem […]

Read the rest of this entry »

O fascismo marca a política

O autoritarismo não se foi da história.As relações sociais são fundamentais para mover as transformações, porém marcam períodos com violências e juntam grupos ressentidos com derrotas no passado. O fascismo busca memórias para justificar governos baseados em intimidações crescentes. Não confunda com o socialismo. O fascismo tem suas ligações com o capitalismo, sobretudo em situações […]

Read the rest of this entry »

As contradições persistem

A sociedade se organiza em vários ritmos. Não há uma identidade cultural única. Pense na Jamaica, no Brasil, em Cuba, na Suiça. Reações diferentes, valores tradicionais acomodados ou mesmo desejo de implantar modernidades tecnológicas. Não é à toa que as contradições persistem. Não se trata apenas de antagonismos sociais. Há choques nas escolhas literárias, no […]

Read the rest of this entry »

Escolha,logo exista

Escolha a sua cor, a sua dor, o seu desejo maior, seu poema encantado, sua estrada sem pedras, sus utopia possível. Se as escolhas dialogam com a sinceridade e se articulam com uma história coletiva, as transformações reinventaram o mundo, Se as escolhas se envolvem com cinismos, fabricam messias, dialogam com a morte, os descompassos […]

Read the rest of this entry »

Desfazer a vida

Canso-me, mas respiro, nem nego que viver é perigoso, como uma fantasma de um vírus anônimo. Escuto o silêncio estranho da rua, a fecho a porta principal, abro a janela cheio de luz e com desenhos de lágrimas. Há enigmas de outras galáxias, intrigas políticas milionárias, saberes perdidos em laboratórios desgovernados. Penso que a história […]

Read the rest of this entry »

Saudade do corpo e do cheiro

As surpresas inquietam e trazem incertezas. O mundo está pesado e a exploração estimula crueldade. As quarentena se espalham, há sustos e as datas confundem. Celebrar o quê? As mortes transitam, as misérias se propagam, mas existem fanatismos que desfazem o saber científico e debocham com cinismo imenso. Complexidades smepre presente e perturbadoras. Cada no […]

Read the rest of this entry »

Camus: Adão e Eva, Caim e Abel

A quarentena traz cotidianos inusitados nada diversos.Há silêncios, sono profundo, queda na criatividade. Uma turbulência com papos esquisitos ou mesmo perplexos diante da tantas bactérias. As leituras fermentam especulações e inquietam desconfianças. Será que estamos no meio do absurdo? Camus lança reflexões que ultrapassam o lugar comum. Para além dos sofrimentos, existem cavernas escuras e […]

Read the rest of this entry »

Não há limites e perdões?

Cria-se uma história. Ela é contada de maneiras diferentes, ultrapassa imaginações tradições, inquieta os cartesianos, sacode as desavenças religiosas. Qual é a história que sintetiza a verdade? Pergunta que veste o enigma e faria Da Vinci viajar por todas as rotas do universo. Penso diluir a questão do pecado original e desconfio dos donos dos […]

Read the rest of this entry »

Conhece Jair Bolsonaro?

Não basta a dor da pandemia.Ela traz mistérios e violentos jogos de poder. Expulsa a dignidade das relações sociais e provoca desmandos surpreendentes. As tecnologias se afogam no comércio da busca de soluções. Surgem quarentenas, tédios, pânicos. O Brasil está no meio do incêndio. Convive com o desgoverno de Jair que parece se distrair com […]

Read the rest of this entry »

Refugio-me ou refugiam-me?

Já escutei maldições políticas em vários tons. Sei que o tempo foge e a história se apresenta com geometrias diferentes. Não há uniformidades, porém não esqueçam das permanências.Quem não se lembra das cruzadas, da peste negra, das violências dos imperadores romanos, das ambições dos reformistas na luta religiosa, na escravidão que invadiu o Brasil? Não […]

Read the rest of this entry »