Archive for the ‘sem categoria’ Category

Amanhã será outro dia?

Tenho excelentes lembranças dos festivais de música popular do século passado.Focarei na figura de Chico Buarque. São inesquecíveis o lirismo e a força do sentimento de cada canção de Chico. Gosto muito de Roda Viva que traduz as ambiguidade da vida.Elas revelam a incompletude humana, deixam ritmos belos que se estendem por cada época dos […]

Read the rest of this entry »

Contar a História, contar as histórias

As palavras são dançarinas.Não se aquietam, detestam as imobilidades. Vivem de pareceria com os poetas, amargam descontroles quando se limitam aos textos burocráticos. Não é simples. Escrevemos, estabelecemos códigos para os diálogos, desenhamos culturas que se espalham. Temos que contar histórias ou existe uma única História programada pelos poderes divinos? Nada disso seria justificado se […]

Read the rest of this entry »

O estrago das afetividades

O mundo se encontra numa inquietude imensa. Quer verdade, saídas, mas produz intrigas e ambições. Observe o comportamento de Jair. Muitas desconfianças e faz da mentira um mar da política miliciana. Há figuras que desgastam a intimidade de forma cínica. O valor é a grana, quando a sociedade adoece e se desampara. Trump não cessa […]

Read the rest of this entry »

Quem nega? Quem se vai?

A testemunha da luta não se apaga. vive descontroles e procura sintonias. Há muitas histórias e poucas verdades. cheias de labirintos imensos mal construídos. Sinto que as amarguras moram no cais escuro, e os navios não cessam de encontrá-las perdidas. Não esqueça do abraço suspenso e fugidio, dos desertos urbanos com ruídos de motores. Negue […]

Read the rest of this entry »

A sociedade dos disfarces:histórias

A dificuldades de formular verdades penetra-se nas relações humanas. Como estabelecer regras, confiar, controlar, se diferenças circulam? Não sem razão que surgem teorias contraditórias.Desde os tempos das primeiras filosofias as andanças se confundem.Não se deve anular as reflexões de Heráclito, mas também sabemos que elas divergem de Kant. Os exemplos são múltiplos. A sociedade não […]

Read the rest of this entry »

Imagens permanentes

Se tudo foi construído partir de um modelo, seria problemático pensar a multiplicidade. Não se tem certezas, pois a ideia de começo é tênue, pois o universo conversa complexidades. As curiosidades científicas trazem esclarecimentos, porém a fluidez do universo não se fixa. Pitágoras tentou resumir a complexidade, foi na profundidade dos números. Suas teses continuam […]

Read the rest of this entry »

A coisificação da vida

Seria impossível contar as mercadorias que desfilam nas vitrines.Muitos ficam perplexos com suas formas. O capitalismo sedutor não perde a oportunidade. Sacode seu poder de venda e deixa sua marca de vaidade. Faz-se a confusão. As pessoas tornam-se coisas. Aproveitam-se para exibir suas mercadoria como conquistas. Não se acanham. Sonham com mais ambições, olham para […]

Read the rest of this entry »

A palavra, a magia, o poeta

Não sei quem fez o mundo.É um mistério. Muitos acasos, teorias científicas, deuses galantes, demônios espertos. Sou um animal que aprecio o lúdico e o encanto. O mundo possui muita magia, mas perversões imensas. As religiões não se cansam de inventar milagres.Há sacerdotes curadores e comerciantes. O cinismo mora em alguns templos. Nem todos se […]

Read the rest of this entry »

A sociedade e as desconexões

Lembro-me quando adolescente de profecias maravilhosas. Afirmavam que a tecnologia mudaria radicalmente o mundo.Teríamos dias de descanso, sem preocupações com o trabalho e as guerras seriam inibidas pelas amizades internacionais. Mas não me esqueço que havia ditaduras militares e desigualdades sociais permanentes.Portanto, a desconfiança me invadia. Já avistava ambiguidades e ambições que consolidavam o capitalismo. […]

Read the rest of this entry »

As buscas e as histórias

Não há destinos determinados rigidamente. Poderia dizer que não existem destinos, mas criamos histórias com invenções e toques nas convivências cotidianas. Acordar significa que os acasos se acendem e as proximidades anunciam possíveis encontros. Busca-se. O controle sobre a vida é precário, no entanto o movimento nos leva para o mundo.Quem não quer construir sua […]

Read the rest of this entry »