Archive for the ‘sem categoria’ Category

A sociedade atordoada

Há um peso que sacode as emoções. As explicações não conseguem esgotar as dúvidas O cansaço e o temor são gerais. Depois de tantos cinismos, violências, milícias, a sociedade se depara com dores fortes e abismos profundos. O tenebroso assombra, o dia se torna torturante, acompanhado por esquisitos pensamentos e ameaças de declínio da saúde. […]

Read the rest of this entry »

O mundo caiu?

As intrigas e as vaidades se aceleram e o caos se instala na história. Uma energia negativa assume o mundo. Há pânico.É preciso sacudir a memória. Quantas epidemias já aconteceram, quantas religiões enganaram os inocentes, quantos autoritarismo oprimiram, quantos refugiados sofrem cotidianamente? Não adianta criar messianismos, nem adormecer em hipocrisias.As elites estão sentido o peso […]

Read the rest of this entry »

Os delírios perigosos

A rapidez se espalha. Há uma confusão que inquieta e notícias que confundem. Os sustos são constantes.Falam no apocalipse , há fugas, crises globalizadas, conspirações. Jair continua andando nas estrada da vaidade. Possui seguidores que parecem enfeitiçados. Não há medida para suas declarações.Sente-se um mito numa onda de esquizofrenias. Desmonta. É claro que existe pânico. […]

Read the rest of this entry »

Fatalidades tardias

não imagine uma história que pareça única nem sonhe um amor desfeito no bar central. conte as palavras riscando as pedras azuis dos monumentos vazios e abandonados . fuja como quem ri de uma hiena vadia. sinta que o corpo pede uma abraço de lágrimas distraídas e não quer ser tomado pelo vírus assassino. escreva […]

Read the rest of this entry »

O espelho é o pânico

Contemplar o azul no horizonte toca no coração. O mundo se enche de luz quando se inquieta o sentimento que aquece a solidariedade. O azul chama o canto dos pássaros, nos faz pensar no infinito e na possibilidade de desenhar um avesso alegre para celebrar as convivências. Mas nem tudo é azul. Há turbulências de […]

Read the rest of this entry »

A esquina do mundo confuso

A geometria ajuda a organizar a convivência dos objetos. Surgem desenhos, desafios, ousadias. É espaço de invenções, de assegurar as relações sociais e ampliar as histórias que atravessam o tempo. Mas a sociedade aumentou suas ambições, entrou nas armadilhas perversas, estimulou as disputas e as invejas. As geometrias ganharam formas estranhas e se misturam com […]

Read the rest of this entry »

A epidemia da dor permanente

Há épocas acesas de projetos de felicidade, vestidas de discursos progressistas. Sente- se uma animação geral, surgem intelectuais com descrições de fantasias incríveis. Recordo-me dos iluministas, dos sonhos de democracias, de arquiteturas científicas repletas de fórmulas poderosas. Existe um renascer, uma expansão de um mundo que vai fechar as portas do mal e abrir o […]

Read the rest of this entry »

Ulisses, a Sereia, a Cultura

A Sereia narrou as aventuras de Ulisses nas cavernas escuras do oceano.Ulisses as escutou com cuidado e encantamento. Descobriu as formas das palavras, fixou sua identidade, inventou a Culturas. Não houve pecado original. Ulisses desenhou o mundo, localizou o cais da imaginação, sentiu-se o historiador. É travessia da esperteza, da audácia, da rebeldia.E o sonho […]

Read the rest of this entry »

Prometeu: a rebeldia insistente

Não me canso de celebrar Prometeu. Quando leio a tragédia de Ésquilo sempre me comovo. Os diálogos são ensinamentos, mostram que a cultura duvida e cria novos caminhos. Prometeu desafia os deuses, provoca as profecias, inventa possibilidade de redefinir o mundo e expandir as leituras. Não deixo de ler e assinalar como as hierarquias se […]

Read the rest of this entry »

O vírus do capitalismo

Há quem incorpore o capitalismo de forma radical. Não acredita na socialização e considera a disputa o eixo da convivência. Tudo pela intriga, pelo cinismo, pela acumulação. A falsidade dispara e se intromete na história. A ciência existe para salvar ou confunde-se com escândalos? Para que serve a indústria farmacêutica? Quem esconde a contabilidade ou […]

Read the rest of this entry »