Archive for the ‘sem categoria’ Category

O amarelo que destroça

Não sei as intenções claras de Jair, mas provoca agitações e atiça sentimentos nada democráticos. Parece que há uma programação de eventos feitos para celebrar o autoritarismo. Jair sorri, abraça crianças.discursa com o senhor do mundo.Recebe críticas, é acusado de louco, não respeita as leis básicas. A pergunta é fundamental: quem aplaude seus atos? Não […]

Read the rest of this entry »

Os caminhos dos surtos

Cuidar das diferenças faz parte da construção de uma sociedade que se confronta com descontroles. Nem todos sofrem a mesma dor, nem todos comem no mesmo prato, nem todos possuem a mesma moradia. Portanto, há intrigas que se estendem e grupos que assumem violências. A convivência se torna tensa e as culturas manipulam o jogo […]

Read the rest of this entry »

A aridez do desgoverno

A política não se faz sem compromissos. Não é um divertimento vazio. A preocupação com a solidariedade devia seguir seus passos.Mas Brasil numa fase macabra. Palavra forte. Observe o que diz Bolsonaro, a falta de generosidades, seus risos cínicos.Possui uma plateia que o aplaude como um artista. Inventaram saudações, para animar suas falas. Elegeram a […]

Read the rest of this entry »

Sem açúcar e sem afeto

A história anda pelas esquinas perigosas e gosta das encruzilhadas. Parece brincar com as travessias com estradas de ferro e saltar procurando abismos pequenos e traiçoeiros. Não há planejamentos, mas acasos tão bem escritos pelos romancistas. Seguimos um tempo, com curvas. Nada de especular sobre a terra plana. Viver é desafio ou para alguns um […]

Read the rest of this entry »

E Deus? Morreu ou descansa?

Pensar a eternidade é um desafio.Não sei quando a história começou ou se existe a possibilidade de se estabelecer o acaso. A magia não sai da história, apesar das desconfianças. Ela atrai e se mistura com as objetividades frias de alguns. Há quem não suporte a adivinhação e se entregue aos rigores da ciência. Não […]

Read the rest of this entry »

Incertezas nunca ausentes

No meio do mundo, existem muitas histórias. Seria impossível contá-las sem perder o fôlego, Estamos soltos, como pássaros que nunca saíram da gaiola. Não adiantaram planejamentos, nem teorias que desfizeram tradições. Condenamos religiões, agitamos novos hábitos, denunciamos violências. A sociedade se movimenta, mas se cerca de incertezas, volta ao passado, como se desenhasse saídas e […]

Read the rest of this entry »

Os tropeços trazem desenganos

Discute-se numa fábrica de intrigas, com a ajuda de assessorias e tecnologias destinadas a espalhar mentiras. A desconfiança aumenta, denuncia-se, mas a sociedade é heterogênea não consegue articular o coletivo, está envolvida com fanatismos. Ninguém aproxima a pandemia da solidão que atravessa o planeta num desespero frequente. Por que não viajar pela memória? Faz tempo […]

Read the rest of this entry »

O tédio visita a vida?

As perturbações estão presentes de forma agressiva. Jair afirma que não é coveiro, faz da contradição sua moradia e do ruído seu lazer. Possui plateia, recebe filmagens, voa. Figura dura ou flexível? Existem muita hipocrisia e religiões querendo competir com as manobras capitalistas.Estamos no isolamento. Imaginamos um tempo que parece não tem fim. Há quem […]

Read the rest of this entry »

O fascismo marca a política

O autoritarismo não se foi da história.As relações sociais são fundamentais para mover as transformações, porém marcam períodos com violências e juntam grupos ressentidos com derrotas no passado. O fascismo busca memórias para justificar governos baseados em intimidações crescentes. Não confunda com o socialismo. O fascismo tem suas ligações com o capitalismo, sobretudo em situações […]

Read the rest of this entry »

As contradições persistem

A sociedade se organiza em vários ritmos. Não há uma identidade cultural única. Pense na Jamaica, no Brasil, em Cuba, na Suiça. Reações diferentes, valores tradicionais acomodados ou mesmo desejo de implantar modernidades tecnológicas. Não é à toa que as contradições persistem. Não se trata apenas de antagonismos sociais. Há choques nas escolhas literárias, no […]

Read the rest of this entry »