Archive for the ‘sem categoria’ Category

A história cabe na solidão?

  Muitos rejeitam pensar na solidão. Acham perda de tempo. As relações sociais permanecem agitadas e a solidão poder abrir espaço para consolidar desacertos. No entanto, as multidões caminham, fazem suas rebeldias ou se massificam no vazio e a sociedade se multiplica nas suas agonias. Estar só é uma forma de escutar, de fugir de […]

Read the rest of this entry »

As celebrações da vida: o aqui e o agora

  Ninguém nega que o tempo passa. O mais difícil é saber a sua velocidade ou se ele pode ter alguma definição. Jogamos com o passado e o futuro, visualizamos distâncias, mas as incertezas não se apagam. A multiplicidade das interpretações nos deixam atordoados. Não há transparências, mas existe a contínua a rapidez de misturas. […]

Read the rest of this entry »

O poder faz parte da aventura humana

  Há sempre dúvidas. Muitos desejam o absoluto, mas mergulham em decepções quando fracassam. Não percebem as fragilidades, multiplicam delírios, esquecendo dos limites. Somos seres que não dispensam sonhos. Temos que superar os impasses do cotidiano. Não fugimos das idealizações. No entanto, o infinito é uma criação transcendente, apenas uma forma de levantar os ânimos […]

Read the rest of this entry »

O afeto no meio das mercadorias

Não acredito que a história tenha um sentido determinado. Ela surpreende, quando tudo parecia arrumado. É difícil precisar, achar que as organizações vão nos livrar as amarguras. Andar pela vida  é visitar memórias, mas também saber que nada está definido. Não faltam teorias e religiões que busquem respostas para tantas complexidades. Inventaram o pecado, sobrevivem  […]

Read the rest of this entry »

O caso Moro: As múltiplas informações e os desafetos

    Quem pensa que pode implantar o paraíso? São muitas informações circulando, todas cercadas de valores e de muitos sentimentos esvaziados. A razão não é nunca soberana. Isso não impede que evitemos fanatismos e não  guardemos velhas carências nos jogos da política. Os valores se inquietam e alimentam as controvérsias históricas. A sociedade não […]

Read the rest of this entry »

A lógica do mercado dita ritmos históricos

    O capitalismo não nega que procura fortalecer a acumulação. A montagem das instituições visa facilitar armadilhas que prejudicam as maiorias. Nada é feito de forma muito explícita. Há muitos disfarces e o governo precisa de um discurso articulado para estimular ingenuidades. Elas circulam com ajuda de estruturas  de divulgação bem profissionalizadas. A grande […]

Read the rest of this entry »

O cais sempre flutuante dos sentimentos

  Quem sobrevive admitindo certezas pode escorregar na próxima esquina. É preciso fazer a leitura da vida, com cuidado, e observar a força do inesperado. Não é a toa que verdades se balançam e agonias perturbam silêncios aparentemente congelados. Há um medo que o acaso tome conta da ações e os sustos se sucedam desencantando […]

Read the rest of this entry »

Não apague as nostalgias

  Ninguém consegue apagar os sonhos.Eles adoecem, denunciam fraqueza, mas a sociedade não pode ser escrava do lugar comum. O tumulto está globalizado, pois a luta é imensa para manutenção dos valores solidários. A soberania do cinismo faz ameaças constantes. No entanto, há buracos, abismos, pântanos. O invulnerável tem seus ataques e se desmonta. Por […]

Read the rest of this entry »

A sociedade nutre escândalos ou busca éticas?

  A velocidade anuncia inquietações frequentes. Muitas notícias e interesses causam escândalos. Há uma proximidade com intrigas e falta de solidariedade. As  intrigas ajudam a mobilizar ressentimentos e fragilizar as ambições de equilíbrio social. Quem vence? O ruído do sucesso elege mitos que podem ser destruídos rapidamente. Surgem inseguranças, pois as leis também não se […]

Read the rest of this entry »

As informações moram nas ordens dos poderes

  Não é possível derrubar todos os diálogos. É importante decifrar mensagens e agitar a reflexão. Somos animais sociais, apesar das divergências e dos conflitos violentos. O jogo da vida exige controle, porém não faltam excessos. A história é o inesperado que acorda sossegos e promete sacudir memórias. As redes de comunicação existem e são […]

Read the rest of this entry »