Desleixo fugidio e arcanjos vadios

                                        

      Não corte a vida em pedaços que você não conhece.

      O sabonete tem o mesmo cheiro e a água fria faz o corpo acordar para o   

       mundo.

       O dia não esconde, sem esforço, o sol que se espalha atrapalhando as

       sombras.

        A  preguiça ficou estendida na cama e o mundo parece assobiar uma  

        canção.

        Tudo é claro quando a gravidade é apenas uma lei sem uso, teoria sem  

         tempo.

         Tenho um nome, uma memória, duas mãos, um coração, um olhar.

         Cada coisa tem o desenho que lhe pertence e a estranheza atravessou a

          avenida, apressada, apagando os vestígios dos últimos estragos de

          insuspeitos fantasmas.

          A imagem da vida é uma Colombina pendurada num trapézio de luzes,

         com a paixão solene dos arcanjos vadios.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

5 Comments »

 
  • Monique disse:

    Que imagens lindas vão se formando na mente ao ler esse texto!A mente levita e a imaginação se esfumaça e se espalha.Muito bonito texto!

    abs

  • Monique

    Espero que elas sejam leves, com pensei
    abs
    antonio

  • Emanoel Cunha disse:

    O mundo é encantado em todas as suas formas d vida. Maravilharmos o seu silêncio e contemplá-los, na medida em que o ouvimos nos mais recônditos momentos trapézios do amanhecer, entardecer, anoitecer. Não esquecendo do crepúsculo que perdura o tempo em suas divagações leves e pesadas.

    Abs

  • Emanoel
    Se o racionalismo tomasse conta de tudo o que seria do encanto? Há sentimentow, amores, desprezos, muitas relações que movimentam a vida.
    abs
    antonio

  • Emanoel Cunha disse:

    Realmente..

    …É com essa gama de abordagens que o humano se faz e constrói sua história

    Abs

 

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>