O deboche é um sinal de fascismo

Resultado de imagem para fascismo

 

Tudo pode ser dito. Não há censura clara e a crítica faz bem a reflexão. Mas as palavras estão balançando numa rapidez sem fim. Poucos querem pensar. Preferem curtir o deboche. Não é o humor. São afirmações que disfarçam posições e prometem confundir. Leia o que proclamam os pastores vendedores da salvação. Aproximam-se de vantagens e gostam de ludibriar. É impressionante o cinismo. O capitalismo não perde tempo. Viaja na fé fabricada, para manter a exploração e aprofundar as espertezas. E há quem torça por suas aventuras!

O sistema dominante segue sua trilha. Os acordos testemunham que a ingenuidade não se foi. Arrecadam quantias em templos do sagrado. Há quem fique assustado. A história não é omissa. Não se recorda dos acordos da Igreja com Franco? E a exploração colonial com a benção de orações opressoras? A sociedade se constrói em linhas curvas, criando euforias que se julgam promissoras. Não se engane. A queda de valores acontece, em todas as épocas,e o romantismo se reinventa, em busca de utopias mergulhadas em pântanos.A arrogância desconcerta e cria plateias negativas.

O fortalecimento depende da lucidez de cada um. O individualismo justifica teorias e práticas. Levar vantagem virou uma epidemia. Pouco importa se a concentração de riqueza é desconfortável e empurra a miséria para maioria. O deboche brinca com a desigualdade e naturaliza racismos culturais. Observe as encenações dos líderes fascistas.Não aponte o dedo  apenas para as religiões. Lembre-se do eurocentrismo, das formulações científicas do século XIX. Por que o desprezo pela África e o elogio fácil aos mercados? Por que a escravidão não se cansa de ameaçar? O lixo da vaidade não sossega, quer feitiços e celebra os enganos dos medíocres.Esperar uma rebelião que livre a sociedade das seus vícios é formular encantos que não vingam.

Marcuse se entusiasmou com sinais de uma nova sensibilidades. 1968 inquietou as burocracias. No entanto, pequenas reformas trouxeram certo ânimo, houve paixões por mudanças intelectuais que defendiam comportamentos alternativos. Um onda conservadora atravessa, agora, o que aparecia consolidado. Muitos se retraem, se vestem de desesperanças diante dos deboches programados. É incrível. O cheiro do fascismo sufoca, gera pesadelos, se mistura com as notícias da mídia.E você não mergulha na memória? Cuidado, com as traições da superficialidade. O caminho do vai e volta é perigoso e a solidão possui suas armadilhas.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>