O mundo da travessia sem sonho

Há uma história que desiludiu Adão e Eva

e  um pecado que persegue todos os homens e todas mulheres.

Sinto que cada tempo é uma travessia com vestígios do passado,

parece uma repetição disfarçada com armadilhas subjetivas.

Visito as páginas das escritas que esqueci de ler,

mas vejo um mundo de cores cinzas, chorando seus desencontros.

Conto uma aventura que imaginei, descrevo a nostalgia que me segue,

pensando que as histórias nunca cessarão de existir, como a culpa e o perdão.

A amargura é distante da alegria e o anjo tem medo da tristeza,

não sei em que território me desenhei, apenas jogo palavras para me distrair.

O sonho está no quarto escondido na gaveta do armário antigo, encolhido e pesado,

os cristais estão perdidas nas ruas sem esquinas e mendigos.

Desisto de ser o profeta de mim mesmo.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>