O mundo do bordado e da astúcia

o mundo bordado desdenha as cores que conhece e desfigura,

olha os corpos de formas impróprias como se criasse força com o espanto.

o esquisito mundo não se amplia no sossego fugidio dos loucos,

pede ao amanhã que despreze a dúvida e o desconforto.

o arcanjo perdido  fecha a porta do oceano sem mantos

e as astúcias desmantelam-se nas falências das culturas.

não há silêncio, só desistência e delírio, sem escândalos.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>