O vasto mundo dos traços

Não deixe a página em branco solta na mesa como um esponja.

Abandone a sua preguiça e escreva a sua ultima perda como o roteiro de um filme,

sem usar máscaras, sem derramar lágrimas, sem destilar melancolias, sem medos.

As histórias existem para ser contadas e celebradas, com fantasias inesperadas.

apesar das incertezas que correm pelo mundo trazendo assombrações.

As conversas firmam afetividades, nos aproximam, nos  animam,

mostram que os vazios não são inúteis e ensinam fugas fatais.

Não se abata: há momentos e ilusões, sem felicidades que prometam o paraíso.

Não se engane que a magia não termina e o caos não é passageiro.

Escolha o desenho da sua imagem e jogue seu espelho no lixo da esquina.

A sua última profecia está escondida na alegria que nunca teve no exílio de um mundo

que não se cansa , nem se conhece, navega como um barco desenganado.

PS: O quadro acima do texto é da autoria de Picasso

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>