Quem se compõe na metáfora?

a imaginação não perdoa a ausência de metáforas soltas,

a vida não pode ser a esperança de um espelho num cinema abandonado.

as transgressões trazem a surpresa e cortam a monotonia da mesmice,

o mundo pede que os desenhos se alterem, mesmo que o perdão se estenda.

não há como adivinhar futuros se todos caminham separados, sem sinais conhecidos.

as metáforas redefinem olhares e balançam sentimentos, são extravagâncias.

ser testemunha de estéticas conversadoras é quebrar a ousadia,

as metáforas desenganam o cansaço e ferem as gramáticas silenciosas,

compõem as figuras que multiplicam as fantasias inquietantes.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

1 Comment »

 
  • Elânia disse:

    As metáforas são necessárias. Elas dão a vida uma outra dimensão. Um encanto anormal-um irrealismo necessário.

 

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>