Somos aprendizes da história e do mistério

Resultado de imagem para mistério

 

Quem se esquece das travessias mal sucedidas, não estão preparados para as surpresas. O mito do paraíso é agradável. Deixa um espaço para o  sonho. No entanto, a história não é homogênea. Fico traumatizado quando me lembro das guerras, dos refugiados. dos assassinatos políticos, a riqueza concentrada. Embora haja leis, os limites são derrubados. Há as competições nada lúdicas.  A fúria da vitória existe. Nem todos se curvam diante da agressividade, denunciam  e resistem. Mas observe os séculos vividos. Lá então os genocídios, as intolerâncias, as armadilhas perversas. Portanto, esperar que tudo se componha é uma amargura desnecessária.E nós?

Nem sempre aqueles que estão próximos prometem afetos. Há arrogâncias que se formam com saberes e a promessa de ser vitrine se expande. Estamos numa eleição tensa. Os sustos são grandes, pois os gritos de dor atravessam o cotidiano. Não sei a rota de tanta mentira. Imagine que a palavra da moda é fake! Há esquemas de fabricação de notícias que desafiam os mais espertos. Não se amedrontem. A história não possui ponto final, as reviravoltas acontecem, a sociedade busca sempre o diferente ou se congela. Negue a ilusão que a sociedade de consumo dialoga com a felicidade. O fake é  parceiro da industrialização da tecnologia do cinismo, formou um fã-clube  fanático.

O dualismo volta, o extremo ameaça, muitos se enganam com o novo. Torna-se quase impossível construir argumentos diante de dogmas consolidados. Esse é o ritmo da atualidade. A religião investe na politica, muitos se escondem numa falsa neutralidade. no descompromisso. Fundam o riso da sabedoria especial. Pouco se importam com as tragédias do Jair. Ninguém está sozinho, os meios de comunicação garantem companhia. Se elas são medíocres, a questão é outra. O que vale é o egocentrismo, o sucesso do raciocínio que me faz especial. Assim, segue a logica de muitos, fugindo e consolado com a fuga..

Instalam-se as siglas, os horrores, a negação de um passado. Era inocente e não sabia. Agora amadureci e desejo o supremo prazer. Que os outros me olhem com admiração. Nem todos opositores são fascistas, mas quem efetivamente se disfarça de fascista para poder justificar seus atos políticos? A história nos faz aprendizes, porém renunciamos ensinamentos. Temos o direito de inventar e empurrar as tristezas para debaixo do travesseiro. Quem usa o mesmo espelho? Se alguém comprou alguma certeza que a coloque no mercado. O facebook oferece oportunidades inusitadas, mesmo que as dificuldades não firmem o nosso reinado. Rei morto, rei posto.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>