Posts Tagged ‘aldeia global’

A aldeia global gira a solidão

    A sociedade gosta das novidades. Não aprofunda a razão da inquietação constante. Não observa a superficialidade do mundo das mercadorias. Passeia pela rua com medo da violência e se refugia na lojas para se distrair e sonhar com o consumo. O cotidiano é melancólico, porque há muitas permanência e poucas ousadias. As novidade […]

Read the rest of this entry »

Não apague as solidariedades e os encontros

  Não deveria ser assim. Construir muros de lamentações é sinal  de que a história anda escorregadia. Não se olha para o outro e a fragilidade do social deixa constantes medos. Falo de ambiguidades que não cessam, de violências sempre atuantes e do egocentrismo avassalador. Nunca acreditei que tudo seria absolutamente sintonizado na paz. Os […]

Read the rest of this entry »

Desencantos: a saga cruel dos refugiados

Há muitas amarguras e insanidades. Os anjos devem estar aflitos, desconfiando da própria existência. Numa sociedade construída com violência não há como acreditar em julgamentos equilibrados. Parece que as culturas estão tontas, o desencanto domina a aldeia global. As moradias viajam. Estão dentro do corpo? Milhões de pessoas não sabem o que significa otimismo e […]

Read the rest of this entry »

As tensões norte-americanas visitam o mundo

As disputas eleitorais criam instabilidades, mas ajudam a desvendar situações. É  histórica a diferença entre democratas e republicanos nos Estado Unidos. Marca a política internacional e forma grupos de pressão atuantes com interesses definidos. As repercussões espalham-se, pois o mundo se mexe. A força do jogo de poder, na aldeia global, é cada vez mais […]

Read the rest of this entry »

Nietzsche: as medidas, os julgamentos, as histórias

Nietzsche já duvidava de muita coisa da famosa cultura ocidental. Era um crítico feroz do cristianismo e dos valores da época. Não se empolgou com os acordes do progresso, tão exaltado no século XIX. A sociedade deu um pique, saltou abismos e rabiscou outros, não conseguiu firmar a paz. As guerras trouxeram violências e pessimismos. […]

Read the rest of this entry »

As instabilidades históricas, globais e espertas

Havia muita expectativa de que as mudanças trazidas pelas conquistas científicas desfizessem desigualdades e inibissem violências. O otimismo tinha espaços e divulgava o discurso do progresso. Parecia que as dissonâncias de antes eram resultados de falta de maior conhecimento. A razão precisava ser estimulada para esclarecer mistérios e consagrar o bem comum. Muito se discutiu […]

Read the rest of this entry »

As Olimpíadas e as acrobacias da aldeia global

Estamos muito próximos, apesar das diferenças. É isso que os meios de comunicação anunciam nas notícias gerais que circulam no cotidiano. Nos tempos de Olimpíadas, o espetáculo garante uma ilusão de sossego e de confraternização singular. Não deixa de ser emocionante, tanta gente disputando jogos, mostrando múltiplas práticas culturais. Gosto de curtir os esportes e […]

Read the rest of this entry »

Repressões, cinismos, violências, desgovernos

O mundo é território de muitas invasões. Os comportamentos mudam rapidamente. São bilhões de pessoas convivendo, com crenças e sentimentos conflitantes. Esperar uma harmonia é um devaneio. No entanto, é importante a inquietação e  perceber a multiplicidade. O ano de 2012 não promete sossego. As coisas se balançam, a gangorra se movimenta. As desconfianças prosperam, pois […]

Read the rest of this entry »

Dê uma olhada inquieta na tua imagem

O fim de semana foi pesado. Há tempos de celebrações alegres e outros de reflexões desanimadoras. Desconfio do linear, mas não nego que repetições acontecem e tocam nas memórias. Vivemos muitas tragédias. Tiveram formas diferentes, pertenceram a épocas culturais diversas. Não deixaram de fincar marcas. O 11 de setembro, nos Estados Unidos, ainda hoje chama […]

Read the rest of this entry »

A bola de plástico e a lama: o jogo é de todos?

Tudo se entrelaça? Parece . Nada está solto no ar. Há uma comunicação múltipla que prestigia o cosmo. No cotidiano, desenham-se vestígios. A sociedade tem conflitos, ternuras,violências, paixões e desacertos. Nem tudo merece lixo, nem tudo é luxo. Mesmo que a aldeia global fale a linguagem forte do consumo, podemos refletir sobre muita coisa. Ainda… O futebol traz […]

Read the rest of this entry »