Posts Tagged ‘Capitalismo’

As leituras da história: tolerâncias e dogmas




O mundo do conhecimento pode não ter muros. As portas se abrem, Há diversidades juntas com concorrências. Não vamos desenhar ingenuidades. A ciência continua produzindo poderes, alguns arrogantes e cheios de dogmas. Parece estranho, mas as controvérsias não deveriam causar intrigas. Seria interessante que elas abrissem diálogos. Não somos torres inabaláveis, nem a solidariedade é […]




Share Read the rest of this entry »

Quem tem medo da narrativa do capitalismo?




  Não há mistério. O território do capitalismo está aberto para exploração contínua. Não é novidade. As desigualdades existem de forma brutal e a miséria mora em muitos lugares. Não é acontecimento recente, mas as sofisticações acompanham a história. Cada época inventa suas medidas. Pensar o capitalismo sem corrupção é uma ingenuidade. Onde há hierarquias […]




Share Read the rest of this entry »

Rosa Luxemburgo, política, anarquismo




  Será que estamos assumindo a barbárie ou nunca deixamos de cuidar das vinganças? Mal começou o ano, os atentados recomeçam, a violência derruba limites. Insisto que não se brinca com o desejo de intolerância. Há quem escreva procurando atiçar desencontros, culpando os outros por uma carência pessoal. Quem conhece sabe que os psicopatas não […]




Share Read the rest of this entry »

O capitalismo, o pão e o circo, os desmontes




Competir é uma palavra poderosa. Como conceber o capitalismo sem desigualdade, sem raivas dos outros e desejo de ser vitorioso? Não simpatizo nada com a ideia de ordem e progresso, de planejamentos obscuros, de consultorias oportunistas. Fico espantado como alguns vibram e enaltecem a grana. Sinto que a sociedade adota a desigualdade e enalteça teorias […]




Share Read the rest of this entry »

A depressão e as festas virtuais: o balanço da desconfiança




Estamos envolvidos por notícias assustadoras. Não sabemos se vai aparecer alguma luz. Denúncias se multiplicam,  golpes com identidades renovadoras se afirmam. O debate é mesmo inquietante. Portanto, os ânimos assustam, pois há comportamentos fascistas e corruptos soltos ditando normas. Tudo é confuso, os julgamentos vacilam e a sociedade vive desmanche de instituições. Mas fechamos os […]




Share Read the rest of this entry »

Os tempos de Mariana: os sepultamentos velozes e simbólicos




O mundo está repleto de notícias. Os jornais parecem folhetos de assombrações. Não há um sinal de sossego. Cada trilha tem muitas pedras e os abismos se distribuem dentro das metrópoles. Existe algum esconderijo que garanta um minuto de descanso ou alguma idealização nova que respiremos sem medo? Atravesso as ruas com uma atenção desmedida. […]




Share Read the rest of this entry »

A crise ampliada: o medo das perdas




O debate político continua estimulando denúncias, sem apresentar alternativas para movimentar a economia e sair do abismo. O poder atrai e concentra energias que conservam desigualdades. As tensões são grandes, depois do mito do cartão de crédito e dos gastos excessivos que incentivaram visões do paraíso. O capitalismo se reinventa, mudando práticas, expandindo ilusões, mas […]




Share Read the rest of this entry »

Quem inventa a democracia e a utopia?




    Já disse, muitas vezes, que a utopia é fundamental. Não significa que teremos, sem dúvida, um mundo a partir de convivências  saudáveis. A utopia ajuda a procurar saídas e aumentar a reflexão. As dissonâncias existem, trazem conflitos, mas como não observá-las e focar no diálogo? Portanto, não podemos nos reduzir ao que o […]




Share Read the rest of this entry »

Os lugares de Marx e o mundo partido




A possibilidade das releituras traz renovação do fôlego. Os tempos mudam ou redefinem valores. É preciso atenção para não congelar julgamentos. A história corre, possui suas permanências e tradições, porém não há sentido que a determine para sempre. Tudo pode provocar instabilidades. As verdades se desmancham, o sólido se torna líquido e a perplexidade comanda […]




Share Read the rest of this entry »

Facebook, comportamentos, máquinas




  Estou no face, curtindo convivências e encontrando dimensões diferentes dos meus tempos passados. Os limites eram grandes. O telefone e a televisão faziam o costurar do cotidiano, além das conversas pessoais. Seria impossível imaginar que a sociedade ganharia outro ritmo sob o comando das máquinas imperiosas. Surgem dificuldades, exige-se rapidez e se desprezam experiências. […]




Share Read the rest of this entry »