Posts Tagged ‘cinismo’

Rosa Luxemburgo, política, anarquismo




  Será que estamos assumindo a barbárie ou nunca deixamos de cuidar das vinganças? Mal começou o ano, os atentados recomeçam, a violência derruba limites. Insisto que não se brinca com o desejo de intolerância. Há quem escreva procurando atiçar desencontros, culpando os outros por uma carência pessoal. Quem conhece sabe que os psicopatas não […]




Share Read the rest of this entry »

O império do cinismo e da tragédia cotidiana




    O mundo se constrói nas diferenças. As hierarquias persistem, mudam de lugares. Sinais para transformações e muita complexidade  nos inquietam. As pessoas se deslocam, conseguem furar esquemas de poder. No entanto, a sociedade mantém o ritmo, reprime. Quem parecia rebelde se deixa levar pelas arrogância de quem condenava. Continuam os fingimentos, os autoritarismos. […]




Share Read the rest of this entry »

Estamos tontos ou perdidamente cínicos?




Sou descrente com relação a muitas coisas. Fico triste, quando vejo tantos desencontros. Não vivo de ambições, já rompi com o berço esplêndido. Repito sem consternação: uma sociedade tomada pelo capitalismo se afunda afetivamente. Daí, a violência, as amargura, a inveja, o desprezo pelos outros. Sei que é um máquina poderosa e há quem admire […]




Share Read the rest of this entry »

As Olimpíadas: o jogo, a política, o humano




Bolt, Phelps, Sheila, Marta, Argentina, Croácia, China, Estados Unidos… Tudo passa, mas não sem polêmicas e travessuras, sobretudo quando a tempestade é longa. Curto, porém, os jogos desde muito tempo. Sei que é uma época de demônios e Dráculas políticos. Muita gente envolvida com corrupções, outros destilando falta de caráter, mostrando ser mensageiros do céu. […]




Share Read the rest of this entry »

Fascismo: a travessia do cinismo e da violência




  Quem inventa notícia, inventa história. Não se trata de debater sobre a verdade e a mentira. Elas estão submersas numa escuridão profunda. A sociedade luta, muda de lado, sente saudades de Marx, mas se lembra de Hitler. A violência não se vai, pois encontra abrigo na Turquia, na Síria, na França, no Brasil… A […]




Share Read the rest of this entry »

O cinismo dói: a política e o delírio




As novidades estão nos espelhos da mídia. As redes se inquietam e os julgamentos explodem. Muito sentimento escondido por detrás de argumentos ditos racionais. Eduardo Cunha renunciou. Configurou uma peça teatral de lágrimas, onisciência, cinismo. Não sou psicanalista, mas penso que os políticos estão no limite da falta de vergonha e longe de qualquer princípio […]




Share Read the rest of this entry »

Os cinismos e a censura têm ambições opressivas




  Há muitos dramas e poucos cenários. Tudo se acumula numa vasta conspiração que possui artifícios bem montados. Não se trata de defender partidos ou fazer acusações irresponsáveis. Cada dia que passa, vemos declarações, discursos, manipulações nefastas. É claro que existem os que gostam, procuram curar seu ressentimentos antigos, garantir seus privilégios, oprimir quaisquer ruídos. […]




Share Read the rest of this entry »

Não fique fora da história




Não há neutralidade. O silêncio e a apatia têm significados. Cada um faz sua construção, escolhe seus valores, valoriza sua coragem, duvida de alguma fantasia. Todos contribuem para a aventura, com suspense, surpresas e maldições. Ficar fora da história é renunciar ao coletivo. Somos animais sociais. Toda prática egoísta fragmenta e provoca tensões. Esconder-se é […]




Share Read the rest of this entry »

O velório na política e os elefantes da infância




    Lembro-me de muitas músicas cantadas na infância. Aquela do elefante que incomoda muita gente me traz boas recordações. O elefante me aparece um animal simpático e inteligente. Possui um charme especial, uma memória singular. Já pensou os elefantes tomando o lugar dominante dos homens? Já pensou os elefantes arquitetando prédios, máquinas e reservatórios […]




Share Read the rest of this entry »

O fascismo está na esquina da rua




    Os historiadores fazem análises globais que enfeitam o passado. Esquecem o agora. Estamos vivendo, o tempo é simultâneo não adianta manter fronteiras. É preciso entender que tudo se toca. Um olhar é expressivo, fala do corpo, nos remete a lembranças. A vida é uma constante interpretação. O cuidado gera tensões, mas o descuido […]




Share Read the rest of this entry »