Posts Tagged ‘cinismo’

Quem segura a bomba e a violência de KIM?

As ameaças do ditadores são constantes. Procuram afirmação. assustar o mundo, desmontar a solidariedade. Fazem a violência correr com um cinismo que quebra esperanças de futuro. Depois de tantos atentados, de fúrias gratuitas, o ditador da Coreia do Norte se lança prometendo uma bomba magistral. As reações tornam-se manchetes de jornais, mas  há outros países […]

Read the rest of this entry »

Desencantos: a saga cruel dos refugiados

Há muitas amarguras e insanidades. Os anjos devem estar aflitos, desconfiando da própria existência. Numa sociedade construída com violência não há como acreditar em julgamentos equilibrados. Parece que as culturas estão tontas, o desencanto domina a aldeia global. As moradias viajam. Estão dentro do corpo? Milhões de pessoas não sabem o que significa otimismo e […]

Read the rest of this entry »

Charlie, as vitrines, a mídia, o poder

Os negócios são complexos. Exigem rapidez e astúcia. O importante é não perder espaço de poder e procurar agitar a grana com eficácia internacional. Por isso as notícias circulam com raro senso de especialização. Elas revelam políticas e preconceitos. Desenham histórias, escolhem vítimas, estabelecem verdades, mexem com multidões. Não é à toa que as concorrências […]

Read the rest of this entry »

Os ruídos frequentes das corrupções

A sociedade está sempre estabelecendo regras. Surgem novos comportamentos, há mudanças nas organizações políticas, protestos ganham ruas reclamando dos descontroles, continuam desigualdades seculares. É quase impossível conceber harmonias, os conflitos se espalham e as rivalidades não cessam. As regras buscam manter ordens. As disputas mostram que os poderes estão acesos. Não faltam acusações e as […]

Read the rest of this entry »

O poder feiticeiro da política nas costuras dos pactos

  As manifestações de rua alertaram para a falta de compromisso de muitos políticos com a gestão dos problemas. Deixaram surpresas e medos. Muitos se sentiram pressionados, mudaram  discursos, mas continuaram com cinismos e artifícios. As medidas tomadas não atingiram o esperado. As tensões continuam, pois a disputa eleitoral para presidente traz movimentos frequentes. Acusações, […]

Read the rest of this entry »

Os negócios políticos e as incertezas éticas

Quem não gosta de política fica desligado das intrigas que tumultuam a República. Mas as tensões existem e os cinismos não cessam. Qual é mesmo o compromisso dos partidos e sua organização ética para levantar a democracia? Não tenho respostas. Vejo um pragmatismo crescente que acompanha os balanços da economia. Quem são os aliados do […]

Read the rest of this entry »

As confusões políticas e a corrida eleitoral

Não precisa de muita esperteza para se esconder da vida social. A ausência física pode provocar desconfianças e abalar honras antigas. Hoje, as sofisticações são muitas. Com tanta tecnologia desenvolvida, os labirintos se multiplicaram e as estradas pedem constantes sinalizações. Mas a razão cínica consegue se virar. As mudanças ocorrem. Não vamos desejar um mundo […]

Read the rest of this entry »

As frágeis vestimentas do convívio social

Provoca indagações o conteúdo efêmero das relações sociais. Não é possível viver sem o outro, dividindo sentimentos e trabalhos, mas a sociedade é competitiva e individualista. Não se afasta do conflito e fermenta dissidências. As tensões são cotidianas, colocam dúvidas nos direitos e atinge a sociabilidade. Se os interesses e a violência ocupam lugares predominantes, o […]

Read the rest of this entry »

Repressões, cinismos, violências, desgovernos

O mundo é território de muitas invasões. Os comportamentos mudam rapidamente. São bilhões de pessoas convivendo, com crenças e sentimentos conflitantes. Esperar uma harmonia é um devaneio. No entanto, é importante a inquietação e  perceber a multiplicidade. O ano de 2012 não promete sossego. As coisas se balançam, a gangorra se movimenta. As desconfianças prosperam, pois […]

Read the rest of this entry »

As águas do Rio de Janeiro e o desgoverno contínuo

       Conviver demanda solidariedade. Ficar preso ao individualismo significa um perigo para afirmação da sociabilidade. Cada um cuida de sua vida. Não há como negar a necessidade de autonomia. A autonomia não é a trituração do outro, a vitória nas corridas das competições. Ela se alarga, quando entendemos as diferenças, construímos os diálogos, firmamos pactos para […]

Read the rest of this entry »