Posts Tagged ‘conversa’

As ressacas da política: a conversa difícil

  Nada de novo no pedaço das tantas querelas políticas. Houve épocas de acirramentos e de debates não pacíficos. Gurras e perseguições. Hoje, as relações voltaram, porém, a esquentar. É complexo estabelecer uma conversa, quando se trata das medidas políticas. Há uma cegueira generalizada. As raivas e os argumentos pesados substituem a lucidez. Todos se […]

Read the rest of this entry »

Conversas com Nietzsche

Há um fantasma estático atrás do meu corpo, perguntando sobre o destino de Nietzsche. perplexo com as suas profecias radicais. Vejo sombras inquietas com o anúncio da morte de deus e o eterno retorno das das culpas vadias e opressoras. Não há amores nos desencantos tardios e nômades, mas uma desconfiança permanente nas sombras do […]

Read the rest of this entry »

” Vou seguindo pela vida…”: travessias e simulações

Quem pode se esquecer de Milton cantado Travessia? Muita beleza, encanto e a emoção como uma brisa enebriante. Há poemas que marcam instantes e viram eternidades. Com tanta confusão não custa soltar-se das novidades pesadas, deixar Cunha, Temer, Jucá e tantos outros, e respirar outras energias. Quando as tensões se avolumam, a sociedade fica embrigada […]

Read the rest of this entry »

A escassez do sentimento

Imagine um mundo sem deuses, anjos, demônios, mitos e sinta a morte da fantasia, o flutuar da objetividade vazia. As mentiras e as verdades se confundem nas fronteiras frágeis do azul. Conte os desperdícios da razão e despreze o fogo  assassino das armas, e caminhe na estrada que fugiu do sangue inútil da conversa sem […]

Read the rest of this entry »

O facebook é uma arena singular

Não é exagero afirmar que a cultura se faz com muita conversa. A mudez tem sem seus significados, mas é preciso movimento para que as invenções se estendem e corram o mundo. As conversas não levam, necessariamente, ao consenso. Por mais autoritária que seja a sociedade não se vive sem diferenças. A memória mostra como […]

Read the rest of this entry »

O Facebook e a escrita: conversas com o mundo

Escrever é uma forma de se inserir nas andanças da sociedade. Não é ato que demonstre a soberania da solidão. Escrevemos porque estamos no mundo, cheio de dúvidas, sem saber por onde anda as verdades, onde se perderam as referências éticas. Todos usam linguagens, cada dia mais múltiplas. Não dá para compreendê-las na sua totalidade. […]

Read the rest of this entry »

A conversa do mundo e o poeta Manoel

É difícil ouvir o silêncio. Há sempre inquietações nas cidades cheias de pessoas que não se cansam de refazer trajetos. O silêncio não significa, apenas, ausência de ruídos externos. Falo de um silêncio de dentro que percorre os sentimentos em busca de equilíbrio. O mundo é agitado, vive curtindo novidades, elas atravessam obstáculos, invadem corpos. […]

Read the rest of this entry »

Nos territórios malabaristas do facebook

  A experiência ensina que a vida é um movimento difícil de possuir regras fixas. Não podemos viver sem princípios, temos hábitos e tradições, porém é preciso que olhares espertos não se deixem enganar por máscaras cotidianas. Não há história sem convivências, nem tampouco necessidade de garantir que elas se mantenham sem escorregões. Há mudanças […]

Read the rest of this entry »

A vida entrelaçada nas incertezas e nas impaciências

  Não há tempo para que as conversas ganhem um ponto final. Sempre são interrompidas, pois as informações transbordam qualquer capacidade de síntese. No entanto, é significativo que falemos das coisas que nos importunam com foco no exterior. Preferimos salientar o que vem de fora e se possível reproduzir o noticiário. Poucos se revelam ou […]

Read the rest of this entry »

As conversas da solidão na extensão do mundo

Muita gente nos cerca. Caminhamos enfrentando olhares negativos ou indiferentes, mas também ruídos de alegrias e surpresas. O mundo tem muitas pedras e rotas que não se esgotam. Planejar é uma dificuldade. Quando partimos para viver o cotidiano, aparentemente, tão simples, ficarmos perplexos com os desacertos e o inesperado. O dia apresenta-se com novidades incomuns, […]

Read the rest of this entry »