Posts Tagged ‘cultura’

As culturas, os pertencimentos, as modas, os vazios




A incompletude não é uma invenção vadia. Estamos longe da onipotência e os deuses descansam dos pecados que também cometeram. A sociedade roda. Os conflitos aparecem com frequência. Nunca se consagraram tantos medos e tantas inseguranças. Cada aventura significa uma ameaça sem definição. As polêmicas renascem, a memória se aquece, os preconceitos se agitam. Será […]




Share Read the rest of this entry »

De quem é a festa? De quem é a máscara?




O carnaval está no ponto. Muita animação que se amplia na mídia. Parece que  haverá uma mudança radical. Mas o carnaval possui máscaras, esconderijos fantásticos. Fica uma ressaca imensa. A alegria se apressa ou a cachaça se vai. Dizem que tudo é permitido. Pura ilusão. Há repressões e limites, embora as portas abertas ajudem a […]




Share Read the rest of this entry »

O Apartamento: as imagens da vida cotidiana




  As dores não passam como um cometa. Persistem. Há dúvidas que machucam e tradições que confundem. Nada de novo no planeta na sua marcha das competições e das vinganças. Um bom filme sintetiza anos de história e traz as sequências instáveis do cotidiano. Não desculpa tensões, mas move ideias e imaginações. A cultura é […]




Share Read the rest of this entry »

As Olimpíadas: o jogo, a política, o humano




Bolt, Phelps, Sheila, Marta, Argentina, Croácia, China, Estados Unidos… Tudo passa, mas não sem polêmicas e travessuras, sobretudo quando a tempestade é longa. Curto, porém, os jogos desde muito tempo. Sei que é uma época de demônios e Dráculas políticos. Muita gente envolvida com corrupções, outros destilando falta de caráter, mostrando ser mensageiros do céu. […]




Share Read the rest of this entry »

Não desconheça a história, nem a mentira




Estamos numa travessia que parece não ter fim. Não é primeira vez. Adão e Eva não ficaram acomodados quando desobedeceram as ordens divinas. A questão do pecado e da culpa é antiga, já vive dias de ruínas e desacertos. No entanto, não acredite que as religiões estão fulminadas.Elas prosseguem buscando adeptos e escolhendo salvações. São […]




Share Read the rest of this entry »

O individualismo e as fronteiras possíveis dos sentimentos




  Ninguém deve dispensar as fantasias. A aridez deixa gosto, isola, cria apatias. Uma sociedade que cultiva tensões, estica raivas, pode se tornar um campo de guerra. Somos animais sociais e precisamos de entrar no universo dos sentimentos. Há ambiguidades, temores, vacilações. A complexidade nos visita com assiduidade. É um visionário quem espera por uma […]




Share Read the rest of this entry »

O facebook e a crise: pressa, imagens, inquietações




O aprofundamento da crise política, no Brasil, circula rapidamente. Tornou-se o assunto maior. Muitas novidades, duelos na imprensa, fotos e gravações clandestinas fazem o clima das torcidas organizadas. Desculpem, mas a razão, se é que ela existe, está hibernando. A história assanha ressentimentos, provoca desconfianças e anuncia vestígios de apocalipse. Surgem ídolos ou confirmam-se ídolos: […]




Share Read the rest of this entry »

A porta está fechada para sempre?




O tempo vai passando e as portas se abrem e se fecham. Não cansamos de observar repetições. Podem mudar as cores, as palavras, mas existem intenções. As sociedades não se livram do conservadorismo. É significativo não perder a crítica. Quem quer destruir o vazio e refundar os comportamentos? Brinca-se com o política , porque muitos […]




Share Read the rest of this entry »

As identidades múltiplas e confusas




Não há como prever sentidos numa sociedade múltipla, agoniada com suas culturas de cores indefinidas. Tudo se mistura. Buscamos referências na histórias que vivemos.Mas adianta cultivar memória pessoais. A solidão não é o fim da sociabilidade. É um momento que indefine saídas e produz controvérsias. Não damos conta do que pensamos com segurança, nem temos […]




Share Read the rest of this entry »

A Grécia e a Europa: as astúcias das memórias




Quem coloniza não está livre de viver a desigualdade e se sentir perdido no labirinto. A história não se cansa de produzir instabilidades e o tempo não tem programação fixa. Os anos passam, os séculos atravessam caminhos imensos e a intensidade da cultura produz profecias e crenças. A Europa já foi senhora do mundo, inventou […]




Share Read the rest of this entry »