Posts Tagged ‘cultura’

A cidade tem afetos e pertencimentos

  Há uma busca pela acumulação de grana que desfaz a história e inquieta. Não há transparência e existem  articulações frequentes de projetos individualistas com o poder público. As promessas são muitas e almejam significar compromissos para construção do novo. A velha questão da modernidade volta ao debate e as máscaras do progresso disfarçam discursos. […]

Read the rest of this entry »

As impaciências e os sentimentos de cada dia

  Nunca me conformei com a ideia de que a história é um lugar de transformações. Tenho dúvidas. Não nego que há mudanças, mas as permanências aparecem de forma marcante. Analisamos as moradias dos tempos dos sumérios, vemos as igrejas medievais, contemplamos o poder de arquiteturas que se espalham pela cultura. Nem todos podem morar […]

Read the rest of this entry »

O historiador nas navegações do tempo

    Queremos soltura, mas nos assustamos com o movimentos que invadem as ruas ou quebra regras seculares. Será que temos que possuir um controle do tempo que foge aos nossos desejos? Vamos ao passado, visitamos memórias, recordamos sonhos frustrados e apontamos para o futuro com dúvidas marcantes. Esse jogo do tempo não perturba, apenas, […]

Read the rest of this entry »

Narcisismos, solidão, vitrines, culturas

As vitrines espalham-se por todos os lugares. Não possuem uma única forma, nem pertencem a um só tempo. O individualismo garante que Narciso corre por travessias imensas sem intervalos. Não se afastou das idas e vindas do humano. Institui e compõe suas aventuras.. Os mitos permanecem, apesar de algumas especulações intelectuais contrárias. Eles nos ajudam […]

Read the rest of this entry »

As leituras de Mia Couto e seus encantamentos

Costumo dizer que a solidão, às vezes, trava a vida. Não significa que devemos curtir sempre os grupos e e as festas animadas. A solidão traz reflexão e nos ajuda a enfrentar muitas armadilhas. Somos animais sociais, não tenho dúvidas. Por isso que estamos conversando com o mundo, mesmo quando escondidos e melancólicos. Falo, aqui, […]

Read the rest of this entry »

Francisco e os anúncios de mudanças e de salvação

  A chegada do Papa ao Brasil trouxe uma atmosfera de religiosidade esperada pela Igreja Católica. Talvez, a Igreja proponha-se a anunciar um novo tempo. Conseguiu destaque no noticiário, mas também tensões apareceram. Depois dos movimentos de protesto muita coisa se reformulou na ansiedade política da ordem estabelecida. O imprevisível assusta e provoca medos. Francisco […]

Read the rest of this entry »

A.Silva: o espetáculo, as frustrações, os julgamentos

Fiquei assustado com a minhas leituras do facebook na manhã do domingo. Havia polêmicas acirradas sobre a luta de Anderson Silva. Não aprecio tal esporte e nem tampouco me contagio pelos seus apelos. Gosto mesmo do futebol que, também, possui contradições. Não havia acompanhado a movimentação na imprensa, as especulações, os elogios, o fanatismo. Ninguém […]

Read the rest of this entry »

Freud, traduções do mundo, leituras inacabadas

Quem não narra sua história está escondido do mundo. Talvez, tenha medo de revelações e fuja de encontros. Cada um se projeta no meio das dúvidas, mas a conversa é fundamental para compreender os desacertos e formular outras rotas. As ambições circulam, a sociedade corre atrás das novidades, há buscas que são permanentes. Narrando as […]

Read the rest of this entry »

Agualusa, a invenção do passado, as travessias da cultura

Estamos envolvidos com o presente, mas não de forma absoluta. Temos que assumir certos valores, discuti-los e contemplar cenas que deveriam estar distantes. Não podemos exercer controles fixos. Há fingimentos que não percebemos e dores banalizadas nas notícias dos jornais. O cotidiano apresenta-se, mostra que os sonhos vacilam e as mudanças se escondem nos discursos. […]

Read the rest of this entry »

Histórias: as invenções nossas de cada dia

Seria um erro deixar de lado o vivido e mergulhar nos anseios do imediato. Tudo se movimenta no mundo atual com  velocidades impressionantes. Perdemos as medidas ou demoramos a refazê-las. Nossas teorias confundem-se com as solicitações urgentes de tecnologias pouco conhecidas. As coisas tornam-se antigas de forma repentina. Temos que inventar fantasias para sobreviver com […]

Read the rest of this entry »