Posts Tagged ‘despedida’

Entradas e saídas, portas e voos (para Braz Marinho)

A porta de entrada é estreita do tamanho das asas de um beija-flor, não se entra com certezas, nem desenhando geometrias planas. A porta de saída é larga, dialoga com o inesperado e o exílio. Pois é, camarada, a vida tem  medidas indefinidas e desabençoadas, mas possui manto de cores infinitas e supreendentes. A saudade […]

Read the rest of this entry »

A contemplação do tempo e a incompletude das despedidas

O corpo silencia, esconde-se dos outros corpos, mas não consegue fugir das marcas do tempo. São sinais, significados, envolvimentos. O passado tem múltiplas representações. Não podemos captá-las como queríamos. Construímos as lembranças sem linearidades. Há afetos que parecem desaparecidos e retornam para firmar suas despedidas. É difícil a hermenêuticas dos sentimentos, conjugar verbos envelhecidos e […]

Read the rest of this entry »