Posts Tagged ‘destinos’

As cores dos olhos e do tempo

m Meus olhos trazem imagens de um vermelho que desconhecia. Há um repúdio interior que não consegue dominar as desconexões do corpo e dos tempos que cultivam o vaivém do inesperado sem nitidez. Há ansiedades sem nome que repetem horas desfeitas de calendários prazerosos. Os presentes da vida narram instantâneos que arquitetam perplexidades incomuns. Não […]

Read the rest of this entry »

A poética incerta dos destinos

As estradas dos destinos não desenham geometrias comuns, brincam com jogos de adivinhações e de acasos imaginados. Nunca feche a porta da fatalidade, nem abra as janelas da sorte, os alfabetos da vida não abandonam os mistérios, nem seguram desejos. Há atmosferas fugidias, escravidões invisíveis, pertencimentos descoloridos. As gramáticas se enchem de regras e as […]

Read the rest of this entry »

O destino e a decadência, ânimos e mundos

                                     Rompe com o sono que intimida o ânimo.                      Cada olhada no movimento da rua é um compromisso                       com o mundo solto e inconsequente.                        Sente o perfume torto das ruínas comprometidas da cultura.                         Abandona as identidades das paixões mais antigas e                       entrega a sorte do destino aos deuses decadentes.                      O […]

Read the rest of this entry »

Os sonhos flutuam nos tapetes mágicos da vida

Quem parte sabe qual o destino perseguido? Qual o significado de viajar pelo mundo desconhecendo os caminhos de chegada? Quem cultiva o sonho convive com o medo e o desespero ou mergulha em fantasias coloridas e brilhantes? Nem sempre quem parte visualiza seu desembarque. Pode ficar à toa, sem escolher o lugar definido, esperando algum sinal […]

Read the rest of this entry »