Posts Tagged ‘Deus’

O fogo da palavra




a palavra cerca a vida e o corpo nega que tudo tenha apenas um significado. poderia multiplicar as cores e os traços mas nada termina a vastidão da palavra. quem inventou o mundo sabe que a eternidade é uma abstração divina e a palavra seu encanto indefinido. o fogo do mundo se encerra no último […]




Share Read the rest of this entry »

Os azares da vida quebrada




Não conto os números que a anunciam a miséria, detesto estatísticas de economistas considerados profetas. Não consigo entender o encanto dos privilégios, nem acreditar que Deus é construtor de paraísos. Há espelhos sem imagens e quebrados com fúria, há sedes alimentadas com as águas do pântano. Os azares do mundo se envolvem com gravidades obscuras, […]




Share Read the rest of this entry »

Deus, Nietzsche e a magia




  Contam que existia um Deus mágico, solitário, que morava num deserto sem fronteira. Da areia vermelha criou o homem e da costela do homem, a mulher.Não lhes deu permissão para que levitassem. Criou também as leis, a culpa, o pecado e a simulação do perdão. Muitos séculos, depois, transformou tudo que havia no mundo […]




Share Read the rest of this entry »

Os valores de uma trilha sem rumo




Abro a janela, para animar e vejo o dia com um azul meio esquisito. Parece um desenho do que acontece por aí. Dizem que estamos numa época de grandes transformações de valores. Por isso que as drogas circulam com uma rapidez incrível Estamos perdidos, pois temos que inventar cartografias éticas. Complicado ou sofisticado? O que […]




Share Read the rest of this entry »

A solidão e o cansaço do último deus




Responder as perguntas que aparecem, lembram divertimentos. É difícil sair por aí, ouvir as conversas, escutar os mistérios, ver os rostos desconfiados e guardar-se. Dá vontade de duvidar que há continuidade na vida, se tudo não é uma flutuação tola ou viagem do acaso. Vou e torno-me numa armadura medieval. As pessoas se falam, mas […]




Share Read the rest of this entry »

As narrativas curvas dos sentimentos




Não pense que as palavras ganham sentido no acaso dos desenganos. Cada aventura desmedida anuncia que o sentimento não é o mesmo e que o significado tem histórias e tempos que  invadem o aparentemente inerte. Invente gramáticas, desfaça as linhas retas, deite-se nas curvas inesperadas. Há na vida silêncios que se bastam e narram a […]




Share Read the rest of this entry »

O Deus desfigurado




Não invente a luz que descobriu o mundo. o desenho da escuridão não faz esquecer a lucidez e refazer os traços claros do sonho. Deixe o corpo solto deitado num voo sem fim, assim se compõe a sombra do paraíso. Cada gesto anuncia o significado dos gigantes escondidos nas esquinas dos labirintos. Invente palavras, desmonte […]




Share Read the rest of this entry »

A inútil geometria escondida




A escassez da criatura adormece a imagem que nunca está pronta, desanda a vida desbotada pela incerteza. A palavra escolhida se desencanta da saudade que desconhecia. Fica inútil a geometria escondida nas retas impecáveis dos monumentos da barbárie, nunca denunciada pela vastidão dos prantos ressignificados. O silêncio oprime a dor e o riso, não descansa […]




Share Read the rest of this entry »

Quem acompanha a velocidade da moda?




A sociedade movimenta-se. Nada de ficar parado vendo a banda passar tocando os sucessos do século passado.  O velho ganha metamorfoses e encanta os mais inocentes. A ordem é manter a bandeira da novidade sempre ativa. Surgem músicas inesperadas de cantores sertanejos desconhecidos. De repente, projetam-se, tocam nas novelas da Globo, são entrevistados por Faustão. […]




Share Read the rest of this entry »

Deus e o mundo de um bilhão de famintos




  Não tenho  dúvida que Deus inventou o mundo. Usou a magia das palavras. Fez uma obra de complexidade infinita. Desconheço qual o sentido de tanta criatividade. Sobram questões. Elas não são, apenas, minhas. Faltam respostas, incertezas se acumulam, o futuro é enigma permanente. Não acredito na história do paraíso. Vale como uma boa ficção. Institui o […]




Share Read the rest of this entry »