Posts Tagged ‘diferenças’

As voltas dos tempos históricos

Há sempre um debate incessante nos saberes acadêmicos sobre o tempo histórico, Visitamos o passado, corremos para os imaginários, não acreditamos nas previsões, mergulhamos nas tragédias gregas. Não adiantar fugir. Cada um julga sua temporalidade nos desenhos do corpo. O tempo é astucioso, não se deixa prender. Mas há quem diga que a história é […]






Share Read the rest of this entry »

A solidão de Gabriel: cem anos míticos

As portas estão abertas. São ruas estreitas com ruídos inusitados. Quem fala são os juízes. Acusam quase todos os políticos. A corrupção é desmedida. O medo é cínico e o final pode ser feliz. É um sinal de uma solidão estranha. Todos se parecem, guardam milhões, a sociedade se desgarra. Todos juntos no mesmo ato, […]






Share Read the rest of this entry »

Cinismos, jogadas, granas, farsas

Nos tempos em que as crises se aprofundam as confusões não cessam de existir. Insiste-se na mesmice. Cai a reflexão, a coragem fica na corda bamba, a imprensa inventa suas manchetes para propagar a chegada do abismo. Ele não chega, cria-se um sensação de que nada vale e que a sociedade se arrasta preguiçosamente. É […]






Share Read the rest of this entry »

As múltiplas cidades e seus perten(cimentos)

  As cidades desafiam planejamentos. A diversidade invade seus cotidianos. Surgem sociabilidades junto com nostalgias. A moda é uma grande mistura. Mas não há como cessar os diálogos , nem os conflitos. Há concepções de mundo que recordam séculos religiosos, há preconceitos inesperados, há ficções científicas que entusiasmam apocalipses. Portanto, é difícil definir, traçar linhas […]






Share Read the rest of this entry »

O olhar do outro: diferenças e tensões

Inúmeras são as definições que tentam cercar o humano.. Tenho muitas dúvidas e vejo que há incertezas e vacilações que se estendem pela história. Não nego que produzimos conhecimentos inquietantes e eles se movem construindo turbulências. A complexidade cresce com as informações que atingem a aldeia global. Nós as inventamos, mas inexistem transparências que nos […]






Share Read the rest of this entry »

O moderno e o pós-moderno: a história dividida

  As histórias se parecem e se espalham com suas versões, retomando memória e redefinindo valores. As semelhanças provocam discussões, remetem a divergências sobre a continuidade e a transformação. Existem teorias que são consagrados por autores com  diferentes reflexões. Todas possuem seus adeptos. Alguns pensadores se tornam mitos, ganham espaços na salvação do mundo. É […]






Share Read the rest of this entry »

A política: traços e armadilhas da sedução

A dominação social não se faz, apenas, pela coerção. A  violência e a opressão possuem participação ativa nas relações sociais. Os senhores do poder não deixam de recorrer, porém, às astúcias e à força das invenções que correm a história. Não foi a modernidade que trouxe a persuasão política. Ela a sofisticou, mas não esqueçamos […]






Share Read the rest of this entry »

O mundo vasto: pessoas, objetos, sonhos

A cultura é produto de muitas rebeldias, mas também de aceitações e de conformismos. É difícil observar  seus vastos territórios. O humano é múltiplo. Há uma insistência em consagrar essa afirmação que confirma as diferenças e os choques. Na multiplicidade também há pontos de semelhança. A cultura não existiria com conflitos persistentes. O entendimento é […]






Share Read the rest of this entry »

O mundo das mudanças e das inquietações históricas

Não precisa de muita reflexão para observar que a sociedade não é um todo homogêneo. Há divisões visíveis. As explorações continuam perpetuando-se, buscando justificar e naturalizar práticas dissolventes. Sempre afirmo que não estamos no pior dos mundos. O conformismo convive com a rebeldia, a indiferença com a inquietação. Não é uma constatação dos tempos modernos. […]






Share Read the rest of this entry »

Os olhares do passado e as histórias nostálgicas

A velocidade que nos impede de aprimorar reflexões e nos faz correr atrás do trabalho, também traz confusões para a  memória. É impossível pensar uma sociedade que tenha um ritmo de tempo uniforme. Se mergulharmos nas nossas subjetividades notaremos flutuações incríveis. Há dias de ansiedades crescentes, outros de calmarias que incomodam. Há passados que aparecem […]






Share Read the rest of this entry »