Posts Tagged ‘dominação’

Os lugares de Marx e o mundo partido

A possibilidade das releituras traz renovação do fôlego. Os tempos mudam ou redefinem valores. É preciso atenção para não congelar julgamentos. A história corre, possui suas permanências e tradições, porém não há sentido que a determine para sempre. Tudo pode provocar instabilidades. As verdades se desmancham, o sólido se torna líquido e a perplexidade comanda […]






Share Read the rest of this entry »

Os intrigantes movimentos das máscaras sociais

  O tempo se vai, mas não apaga tudo. Sobram tantas lembranças coletivas que assustam os mais indiferentes. A sociedade não consegue, muitas vezes, assumir as permanências, nem definir seus pertencimentos. Pede novidades, mostra cansaço e descuido, desiste de sonhos e acomoda-se em redes nada esplêndidas. A trajetória da história confunde, não foge das curvas. […]






Share Read the rest of this entry »

Os espelhos do mundo e os desenhos inesperados

Conviver significa tentar firmar sociabilidades. Tudo parece simples se as pessoas estão próximas e comungam dos mesmo hábitos. Mas tudo se move com muita rapidez. Estranhamos atitudes antes inaceitáveis. Elas quebram éticas, desmancham tradições. A sensação de medo não deixa de está presente nas mudanças repentinas. Não há como prever ou estabelecer estágios de aprendizagem. […]






Share Read the rest of this entry »

A política: traços e armadilhas da sedução

A dominação social não se faz, apenas, pela coerção. A  violência e a opressão possuem participação ativa nas relações sociais. Os senhores do poder não deixam de recorrer, porém, às astúcias e à força das invenções que correm a história. Não foi a modernidade que trouxe a persuasão política. Ela a sofisticou, mas não esqueçamos […]






Share Read the rest of this entry »

O circo e a violência nas aventuras da globalização

se











Share Read the rest of this entry »

Caminhos escorregadios: saber, poder, verdade

Os discursos totalitários buscam imprimir o ritmo da verdade única. A imensidão da cultura não ameniza certos autoritarismos. Há quem prefira fechar os olhos e afirmar que possui o centro do mundo. Essas polêmicas atravessam a história. O saber não é ingênuo, ele dialoga com o poder, com intimidade e astúcia. As relações sociais vivem […]






Share Read the rest of this entry »

A complexa cartografia instável dos sentimentos

Exalta-se, quase sempre, um discurso que não cuida dos afetos. Há um sentido criado pela dominação para justificar as relações sociais existentes. A ordem é não perder tempo, confundir felicidade com eficácia, equilibrar-se em regras rígidas e esconder as emoções. Toda modernidade registra polêmicas, porém ganha quem exerce o poder com promessas de resolver os […]






Share Read the rest of this entry »

As estratégias de dominação: a natureza descuidada

Tecer os fios compridos da história exige astúcias frequentes. Nós fazemos parte da natureza, mas construímos estratégias de dominação que destroçam harmonias e paisagens. Muitos gostam de celebrar certas conquistas riscando do mapa a sensibilidade, mas consagrando a capacidade de explorar e acumular egoísmos. Ficamos soltos entre os absurdos e as magias. Mistérios, divindades, autoritarismos […]






Share Read the rest of this entry »

As tecnologias confundem e traçam poderes

A cultura não cessa de conversar com o mundo. Não pense que o sossego  abafará todos os ruídos. Há momentos, porém, silenciosos. Mesmo com a massificação crescente, não vamos visualizar a sociedade com as mesmas cores de sempre. Observe que há uma renovação constante, só não acredito que ela tenha sentido de qualidade. Sei que as […]






Share Read the rest of this entry »

Quem toma conta das suas invenções?

Os óculos sobre a mesa, Miles Davis tocando na vitrola, o olhar solto no horizonte.É difícil fabricar a pausa, o mergulho no silêncio, sem atribulações. Sempre a pressa comandando cada ato, como se não houvesse tempos vazios ou espaços  para contemplação. Tudo parece desmontado, sem profundidades, numa celebração contínua do efêmero. Faltam atenção, cuidado, proximidade. […]






Share Read the rest of this entry »