Posts Tagged ‘dúvida’

Depois da festa, o acaso ou o desmonte?

  A Copa movimenta. Há paralisações, mesas de bares repletas, concentrações etílicas. Sem dúvida, muitos esquecem que a vida passa e a barra pesa. Os políticos se aproveitam para fazer sua farra. Mas como anular o divertimento? Também, curto. É preciso cuidado e luz acesa. Não desligar a televisão e profetizar sofrimentos. Essa é minha […]

Read the rest of this entry »

Não desconheça a história, nem a mentira

Estamos numa travessia que parece não ter fim. Não é primeira vez. Adão e Eva não ficaram acomodados quando desobedeceram as ordens divinas. A questão do pecado e da culpa é antiga, já vive dias de ruínas e desacertos. No entanto, não acredite que as religiões estão fulminadas.Elas prosseguem buscando adeptos e escolhendo salvações. São […]

Read the rest of this entry »

Seguem os tempos, seguem as dúvidas, seguimos tontos

Depois das festas grandiosas, o mundo se enche da expectativa. Vivemos cercados de regras, de trabalhos, mas a história exige movimento. Tudo, na sociedade da tecnologia, não quer apatia, brinca, finge, disfarça. A ciência  sofre amarguras. O capitalismo não perde espaço. Sinto que as utopias adoecem rapidamente e a violência dá respostas que nos intimidam. […]

Read the rest of this entry »

Não se assuste com o contemporâneo

  A contemporaneidade é agitada. Gritou revoluções, prometeu felicidades. O mundo não deu o pulo que se esperava. As frustrações são muitas, os negócios ativos estimulam o cinismo. Há muita coisa sem definição. Isso provoca conflitos, gera uma violência de uma crueldade surpreendente. Nem tudo está podre, mas a desconfiança e os valores apodrecem. Vivemos […]

Read the rest of this entry »

A invenção da vida, a fronteira muda

Quem não costuma perguntar o caminho da certeza e fica insatisfeito ao saber que ele é duvidoso e tardio? A vida se inventa sem que firmemos os caminhos da lógica, a divisão das fronteiras se refaz quando a magia aparece com os acasos soltos e inquietos. Não há engano que arquitete destino e aprisione o […]

Read the rest of this entry »

Memória e vida

O jogo da memória tem regras que não cessam de ser reinventadas. A história é o reino do inacabado, não adianta segurar o tempo. nem tampouco fixar valores com tradições eternas. As partidas acontecem, os retornos são dúvidas, a vida não adormece com a saudade, mas se multiplica. Cada andança é busca que não tem […]

Read the rest of this entry »

O Brasil e o mundo: turbilhão na política

A vida é construída, nunca de forma linear. Há diferenças, cansaços, desenganos. A coletividade se choca com concepções de mundo, diverge, abandona-se. Uns exigem transformações urgentes, outros criticam as renovações. Não há como anular as inquietudes. Elas tomam dimensões e se estendem, sobretudo com a tecnologia e a mídia ditando ordens. Olhar o passado faz […]

Read the rest of this entry »

A dúvida é magia

As memórias chegam e vão em busca de partidas que não tragam saudades, porém não há como escapar das artimanhas das ausências e do peso de não ser único. Desvendar a trilha é voltar no tempo, sem se fixar nas artificialidades do futuro, nas astúcias das profecias que datam o juízo final e as idades […]

Read the rest of this entry »

As dúvidas dialogam com os significados do vivido

Quando Descartes escreveu o famoso Discurso do Método abriu uma reflexão que ganhou espaço quase permanente na história. Estamos nos referindo à cultura ocidental hegemônica. Os paradigmas orientais são outros. Há semelhanças, mas as travessias são diferentes. A expansão da sociedade capitalista aproximou muitas coisas. Hoje, se tornou comum falar-se em globalização. A capacidade de […]

Read the rest of this entry »

A quem pertence o mundo e suas aventuras?

             Sempre as dúvidas atravessando caminhos. Fazem parte da encenação. Somos personagens, produzimos textos, profetizamos futuros, perguntamos por andam as chaves dos quartos fechados. Muitas vezes, sinto-me fora do mundo. Fico mudo, buscando pertencimentos. Não consigo visualizá-los. Tento costurar raciocínios, invento filosofias, consulto ironias seculares. Tudo se torna uma longa confusão, respondida pela dimensão do acaso. […]

Read the rest of this entry »