Posts Tagged ‘encontros’

Conjugação de tempos: as histórias entrelaçadas

No século XIX, houve um otimismo muito envolvido com a exaltação do progresso. Não era geral, não fazia a cabeça de todos, mas proclamavam-se esperanças. Talvez, as discussões teóricas, as possibilidades das conquistas científicas ou os entusiasmos de muitos com a industrialização. Não esqueçam. porém, que socialistas, anarquistas, rebeldes, denunciavam as explorações do capitalismo. Havia […]

Read the rest of this entry »

Escrever palavras, desenhar curvas, atiçar desejos

Pode sentar, sem tensões. Não conte os minutos, mas não negue as distrações. O significativo é passear pelas palavras. Elas se articulam. Não pense que elas sempre dizem a mesma coisa.  Estão muito além de serem, apenas, ornamentos da cultura. Muitas vezes evitam vazios e compõem ruídos para evitar silêncios incômodos. Possuem suas vaidades. São […]

Read the rest of this entry »

A busca do encontro e as tensões do imprevisível

Há acontecimentos que abalam as relações sociais de forma mais profunda. Deixam dúvidas, fragmentam esperanças e desconfiam do futuro. A atmosfera pesa. Eles desestabilizam, pois desmontam conceitos e valores repentinamente. As tradições são desmascaradas e a leitura do mundo se enche de vazios. As serenidades se mostram efêmeras. No entanto, não podemos viver, num mundo com […]

Read the rest of this entry »

Fronteiras nômades, destinos multiplicados

O ir e o vir fazem o movimento da vida. Falta clareza na escolha de algumas partidas. Nem por isso, anulamos os desejos. Eles flutuam, sentem a atração dos perfumes. O desconhecido não é sinônimo de medo. Pode levar ao encontro do inesperado, desajustar monotonias. É confuso, mas o risco se apresenta no inevitável. As […]

Read the rest of this entry »

As imagens do cinema e os encontros (im)possíveis

   A vida move-se. Suas inércias são aparentes. Como uma pausa, numa grande sinfonia, para retomar o fôlego e aguçar os contrapontos. A ficção se entretece com o real. É difícil classificar, enquadrar comportamentos e ficar inventando homogeneidades. As definições são passageiras, possuem o perfume das urgências, das festas que se encerram nas frustrações dos desejos. […]

Read the rest of this entry »