Posts Tagged ‘enganos’

Pokémon: o encontro das solidões apressadas

O circo não se foi. Não é aquele de antes, quando os palhaços tinham mil brincadeiras e os risos corriam soltos. Quem se lembra dos malabaristas, das bailarinas, dos trapezistas audaciosos? Era um divertimento amplo que deixava a plateia mobilizada. Não se trata, aqui, de nostalgia consolidada.  Temos de olhar o que passou, os prazeres […]

Read the rest of this entry »

Insinuações soltas

Não vale contar o passado envolvido por nostalgias e sentimentos perdidos O tempo se foi, retorna, possui outras cores, reinventa outras dores e as histórias quase adormecem nos divãs cafonas dos psicanalistas. Há transformações que vendem o futuro e apagam memórias. como se cada aventura decretasse a morte e o juízo final. Os anjos falam […]

Read the rest of this entry »

O fim de ano e os afetos vadios

A sociedade vive suas festas e suas tradições com proximidades profundas com o consumo. É nebuloso observar as celebrações e seus conteúdos afetivos. Muitas comemorações enchem os bares e as casas de festas. O delírio  toma conta do cotidiano. Tudo medido pelas ofertas que se mostram nas vitrines. Parece que esqueceram que navegar é preciso. […]

Read the rest of this entry »

Feliciano: a sociedade não se descuida das polêmicas

Marco Feliciano tornou-se uma figura cortejada e amaldiçoada. Ficou conhecido em todas as conversas. Para alguns é um profeta do apocalipse, para outros defende a honra da família. As inquietações circulam nas redes sociais. Não falta criatividade: fotos, charges, dizeres, gravuras. Há também o choque das crenças. As religiões disputam espaços, querem ser ouvidas e […]

Read the rest of this entry »

A ocultação da palavra flutuante

Poderia refazer o mundo na escrita do que não foi dito, mas as palavras não se aquietam, buscam significados. O efêmero é relativo, como a eternidade é uma extravagância. Há no sentimento uma síntese da vida que se faz história e atravessa o tempo com se não houvesse ameaças e nem mortes. Oculta-se cada dor […]

Read the rest of this entry »