Posts Tagged ‘escrita’

O fluir da escrita e da conversa nos tempos do mundo

                  A conversa é a maior invenção da cultura. Ela traça as texturas das sociabilidades, sem descansar os mistérios que vagam pelo mundo. A conversa não precisa de muito ruídos e nem de multidões para ouvi-la. No canto da cama, meio atravessado pela insônia, a conversa pode inquietar e trazer lembranças. Sozinhos falamos sobre […]

Read the rest of this entry »

Joyce, Benjamin, Mia Couto, García Márquez

     James Joyce fez a revolução na literatura moderna. Ninguém consegue esquecer suas travessuras inesperadas. Joyce não era um intelectual típico. Vida sofrida, com vários desencontros familiares, ele gostava de beber e o fazia com uma frequência que alarmava seus amigos. Escreveu Ulisses, com fôlego que destronou modelos e garantiu um lugar de permanência na memória […]

Read the rest of this entry »

Os mundos construídos e a brincadeira sem fim

Necessidade ou acaso. Amor ou desespero. A roleta da vida não se resume mais às escolhas dualistas. A diversidade trouxe de outras medidas. Mudaram-se os lugares, pois cada minuto acumula milhões de história. Adão e Eva já planejavam lotear paraíso e entrar em acordo com a família da serpente. Quem foi mesmo que inventou o […]

Read the rest of this entry »

A escrita, o ritmo, a preguiça, o mundo, a solidão

Caetano canta como poucos. Tenho seus discos de várias épocas. Acompanhei sua trajetória, desde os tempos dos festivais de música e da censura feroz dos governos militares. Caetano foi para Inglaterra, liderou o movimento tropicalista, fez e faz composições maravilhosas. É irmão de Maria Betânia. Agora, enquanto escrevo, escuto um disco de 1971, onde há […]

Read the rest of this entry »

As intimidades da escrita, as conversas da imaginação

A solidão é tema recorrente. Mesmo no meio das sociabilidades, temos aquela necessidade de procurar o silêncio e cultivar os esconderijos. Nem por isso, o mundo se acaba e os desejos fogem do coração. A solidão é relativa, possui timidez e ritmo, não apaga lembranças e desperta imaginações escondidas. Quem gosta de escrever sabe disso. Juntar palavras, […]

Read the rest of this entry »

As rebeldias redefinem histórias e ânimos

O início da História é um enigma. Havia, antes, um lugar especial para a invenção de escrita. Marcou a edição de muitos livros didáticos e as aulas de mutos professores. Virou tradição. Basta umas perguntas para causar desconfianças. Quem não conhece a escrita estaria ausente da História? As sociedades humanas dependem de alfabetos para consolidar […]

Read the rest of this entry »

As mulheres (re)inventam o mundo e a escrita

                  Quem escreve não fecha porta para os outros. É sinal de que a imensidão do mundo não intimida. Ela desafia o contato com a aventura e o estar bem com os outros. A escrita exige paciência. Ela possui regras e intuições. Brincar com as palavras é jogo sutil, lança nomes para possíveis […]

Read the rest of this entry »

Diálogos, escritas, esportes: encontros com a vida

Escrever é manter-se vivo e esperto. Pelo menos, assim penso. Gosto das palavras. Não vivo das suas abstrações, não as vejo como sinais ou rabiscos. Elas expressam sentimentos, experiências, projeções. Poder parecer um exgero, mas as palavras conduzem culturas e instituem valores. Escrever é dialogar, é uma afirmação da sociabilidade, esteticamente digna de celebração. Quando […]

Read the rest of this entry »