Posts Tagged ‘fascismo’

Os olhares ernestianos: quem se habilita?

    O mundo contemporâneo produziu diversidades incríveis. O século XX foi pesado, pois a modernidade não abriu a porta para as utopias. Pensou o absoluto sombrio, não dispensou o totalitarismo. Lá estavam Stalin e Hitler, o genocídio atingindo milhões. Houve guerras e tenologias traiçoeiras.Foi um desencanto, apesar de 68, do movimento hippie, das teorias […]

Read the rest of this entry »

O deboche é um sinal de fascismo

  Tudo pode ser dito. Não há censura clara e a crítica faz bem a reflexão. Mas as palavras estão balançando numa rapidez sem fim. Poucos querem pensar. Preferem curtir o deboche. Não é o humor. São afirmações que disfarçam posições e prometem confundir. Leia o que proclamam os pastores vendedores da salvação. Aproximam-se de […]

Read the rest of this entry »

Exageros e compromissos/ disfarces e euforias

      Não vamos achar que PT é sagrado, quebrou a política tradicional. O sagrado é perigoso, engana e cria ilusões. Houve escorregões visíveis nos governos petistas. Negar isso é querer ir para o paraíso. Portanto, estamos diante de fatos que provocam reações negativas. No entanto, usar a culpa com argumento é vazio. Negar-se […]

Read the rest of this entry »

O fim da incerteza nunca se anuncia na política

  A luta está feroz. Um momento de grande singularidade com a volta de um conservadorismo avassalador. O mundo globalizado se encontra em guarda contra as novidades políticas. Querem permanências e atiçam comportamentos agressivos. Difícil definir o que passa. Muitas incertezas e medos. Depois de tanta ousadia, a ameaça da censura se veste e a […]

Read the rest of this entry »

A memória veste a história e a escolha política

  A política fica presente no cotidiano. Há decisões. Apela-se para lucidez, evita-se o engano. Mas não sou infalível, nem existe o absoluto. Tenho concepções de mundo, decepções, entusiasmos, desistências. Não é fácil governar a subjetividade. Muitas informações atravessam as conversas e as mentiras se misturam com as possíveis verdades. A sociedade gosta de espetáculos, […]

Read the rest of this entry »

O machismo se fantasia de fascismo: perturbações nada carnavalescas

    Nas eleições, soltam-se raivas e vinganças. São disputas que inquietam. Elas não definem a sociedade para sempre, mas podem atiçar desencontros e amarguras. A ansiedade cresce num mundo já repleto de tecnologias aceleradas. Portanto, é um equívoco se celebrar transparências. Tudo fica tenso, o vizinho ao lado torna-se um enigma. No Brasil, depois […]

Read the rest of this entry »

O fascismo não desiste

Não fique parado na história. Mussolini existiu,mas já se foi. Hitler foi um sedutor, mesmo com toda vontade de poder. Muitos desfilaram com um autorismo feroz. Não esqueça de Salazar, Franco, Pinochet. No mundo cabem figuras sombrias. A sujeira não desaparece e as utopias , apenas, assanham os sonhos. Há quem confunda capitalismo com democracia, […]

Read the rest of this entry »

Bolsonaro: a memória incomoda

  Não esqueçamos de acontecimentos que decidiram nossa época. Não fiquemos parados no presente deslumbrados com  intrigas inexplicáveis. Há memórias, experiências marcantes. É preciso aprender sempre. Não estamos acabados, nem nunca estaremos. Não espere que os deuses desçam do céu. Eles negam a agressividade e curtem paraísos. Nós frequentamos um mundo, que dispara novidades, embriagado […]

Read the rest of this entry »

O fascismo tem memória, a política se desengana

Sentir as agitações do mundo não é fácil. Há muitos desenganos, a sociedade não consegue arrumar seus caminhos. Surgem inquietudes, sinais de que o bem e o mal estão de mão dadas , mas se estranham. Durante muito tempo, se dizia que os erros humanos podiam ser reconsiderados. Eles eram descuidos, falta de convívio com […]

Read the rest of this entry »

Fascismo: a travessia do cinismo e da violência

  Quem inventa notícia, inventa história. Não se trata de debater sobre a verdade e a mentira. Elas estão submersas numa escuridão profunda. A sociedade luta, muda de lado, sente saudades de Marx, mas se lembra de Hitler. A violência não se vai, pois encontra abrigo na Turquia, na Síria, na França, no Brasil… A […]

Read the rest of this entry »