Posts Tagged ‘felicidade’

Há dores e tormentos na solidão escondida

  As exigências são muitas e elas percorrem o cotidiano. As pessoas perguntam, mas também se escondem. As competições pedem máscaras de todas as cores. A sociedade se torna espaço de uma crescente hipocrisia. Valem disfarces assustadores. Há quem curta estar sempre bem composto, vendendo sorrisos e afastando  qualquer ideia pessimista. O labirintos não tem […]

Read the rest of this entry »

História:A narrativa escorregadia do afeto

  A historia  possui suas tradições seculares. Ela é contada seguindo certas regras que satisfazem os vencedores e distraem. Destacam-se as grande figuras, cheias de pompas e despreza o cotidiano. Assim se vestem os chamados livros didáticos. É claro que há exceções, porém os privilegiados são contemplados com elogios. Perdem-se momentos de rebeldia e se […]

Read the rest of this entry »

Quem constrói o muro da felicidade?

    O mundo mostra-se inquieto, mas nem sei qual é o tamanho do mundo. A complexidade se arrasta pela vida, desde que Adão conheceu Eva e resolveu desobedecer. Não há como escapar da rebeldia. Aqueles que são passivos e tolerantes também possuem suas crises. Nada está quieto ou escondido para sempre. Temos muitos desejos […]

Read the rest of this entry »

A felicidade mora na minha esquina?

Caminho pela rua. Fico observando quem passa, o movimento dos carros. Sinto uma invasão de ruídos e a perplexidade de que a vida se vai. Não tem como segurar o tempo. Ele costuma aprontar. Isso não muda. Lembro-me das histórias de Ulisses, vejo alguém pedindo socorro e mais um celular solto no chão. Gritaria, suspense, […]

Read the rest of this entry »

As visitas da memória e da solidão

A expulsão de Adão e Eva do paraíso ainda agita cabeças e corações. Muitos gostam de caminhar entre as fantasias e brincam com a força tirânica do pecado original. Somos animais sociais. Não tenho dúvidas. Existe uma racionalidade que procura nos ordena. Se equilibra, não sei. Mas não deixa de ser instigante as nossas invenções […]

Read the rest of this entry »

O mal-estar persistente e misterioso

Cada época curte seus deslumbramentos e lamenta suas perdas. A busca do equilíbrio é um registro histórico inegável. Há quem se descuide, goste de viver os perigos dos extremos contínuos. Freud não deixou de alertar para as dificuldades que cercam o fazer humano. Esquecemos que as comparações ajudam, porém não respondem a todas as inquietudes das […]

Read the rest of this entry »

Quanta custa curtir um bom chocolate?

Há, sempre, motivos para celebrações. Os significados mudaram, não se precisa de silêncios, quando se trata de tradições religiosas ou datas, antes, de peso para os costumes cristãos. Quase não brincava, na infância, na chegada da sexta-feira da paixão. A imagem de Cristo morrendo nos enchia de culpa e as cerimônias tinham cores escuras e […]

Read the rest of this entry »

Qual a medida da felicidade cotidiana?

Notícias de pesquisas divulgam que o brasileiro considera-se feliz. Conseguiu uma nota destacada no esquema da avaliação da pesquisa de opinião pública. Mostra que a sociedade caminha, aparentemente, sem tormentas expressivas. Os dissabores não tiram a vontade de viver, desenham descompassos passageiros. Há mais otimismo do que desesperos? É um sinal da cultura que existe circulando […]

Read the rest of this entry »

As astúcias da vida, as astúcias de Ulisses

  Pouco falamos da Astúcia de Ulisses. Muita gente me pergunta sobre a escolha do nome do blog. Ficam surpresos. Não foi nada pesquisado, coisas de especulações intelectuais antigas. Sou intuitivo e sigo caminhos que pintam, sobretudo quando estou no mundo da imaginação. Portanto, não me situo bem no Penso, logo existo, de Descartes. Não radicalizo. Nada como uma […]

Read the rest of this entry »

O mundo espia o mundo na felicidade anônima

Cada sociedade anima suas curiosidades. Ninguém é indiferente, desinteressado pela diversidade do coletivo. A vida dos vizinhos promove especulações. O grande desafio é pensar que, apesar de tanta massificação, o mundo está cheio de divergências e mesmo que atmosferas tediosas façam parte do cotidiano. Não existe um único ritmo permanente. Espiamos o que nos aparece, com ares de […]

Read the rest of this entry »