Posts Tagged ‘Freud’

O mundo freudiano




Desfaça a alegria fabricada e a insensatez dos juízes ensandecidos. Descobra o manto que escondeu o tempo e a vida que se foi para o abismo. O mundo se perde no pequeno caos da arrogância, deixa-se levar pelas formas das mercadorias. Não grite por ninguém,  apague a luz da lâmpada azul e espere os anjos […]




Share Read the rest of this entry »

Quem se lembra do século XIX?




Não crie hierarquias temporais. A ideia do progresso é perigosa. Observe as diferenças, mas não se sacuda nas ideologias desenvolvimentistas. Há muitas traições nas teorias que marcam políticas dominantes. Sei que a desconfiança corrói. Não caia, no entanto, na ingenuidade. Abra os olhos. A história entrelaça tempos, se mostra complexa. Não fique encantado com as […]




Share Read the rest of this entry »

O divã de Freud não é pequeno




  Freud é um pensador que me atrai. Não sou psicanalista, mas admiro suas reflexões e forma com viu o avesso da coisas. Leio, atualmente, um biografia dele, escrita por Elizabeth Roudinesco. Muito bem elaborada, atraente, desperta especulações e prima pela erudição. Debato texto de Freud nas minhas aulas, apesar de haver historiadores que desprezem […]




Share Read the rest of this entry »

Marx, Nietzsche, Freud: os tempos dialogam




Rejeitar pode ser um erro. Os tempos dialogam. É fundamental observar a renovação do que fica. Não perder de vista a crítica, ela ajuda a esclarecer a complexidade do contemporâneo. Ninguém parte do nada, há entrelaçamentos visíveis. Nem tudo pode ser radicalmente decifrado. Hábitos antigos se repetem e violências tiranas acontecem nas mais sofisticadas cidades. […]




Share Read the rest of this entry »

O eu e as curvas da vida: Freud e Nietzsche




  Observo um movimento geral, globalizado, assimétrico. Procuro localizar-me, saber em que território piso, mas tenho dificuldade.  Traço referências, não adapto a novidades vazias, nem me deslumbro com as vitrines descartáveis. Um olhar no passado ajuda a conhecer os tempos. As uniformidades não existem. Há sempre debates, devaneios, desencontros.  A cultura constrói aprendizagens constantes. Resta […]




Share Read the rest of this entry »

Conversas freudianas e nostálgicas




Freud viveu tempos de muitas contestações. Não ficou ausente das polêmicas. Procurou, com suas observações, redefinir valores. Outros conhecimentos sobre o fazer humano que abalaram tradições. O século XIX foi inquieto. Marx e Darwin contribuíram também para questionar verdades e modificar concepções de mundo. Não podemos esquecer Nietzsche e tantos outros que propuseram novos olhares […]




Share Read the rest of this entry »

Freud, traduções do mundo, leituras inacabadas




Quem não narra sua história está escondido do mundo. Talvez, tenha medo de revelações e fuja de encontros. Cada um se projeta no meio das dúvidas, mas a conversa é fundamental para compreender os desacertos e formular outras rotas. As ambições circulam, a sociedade corre atrás das novidades, há buscas que são permanentes. Narrando as […]




Share Read the rest of this entry »

James Bond: as sombras do mundo apressado




Costumo assistir aos filmes das aventuras do James Bond. Divirto-me. As fantasias  multiplicam-se. Hoje, com os recursos técnicos atuantes os desafios são imensos para sentir até onde querem ir seus autores. Nada de exagerar nas interpretações sofisticadas. A cultura não é feita sem inquietude. Um filme não pode estar perdido nas demandas do mercado. Gira […]




Share Read the rest of this entry »

As aventuras e as histórias: Freud e suas razões




Podemos olhar para o passado com objetivos de acumular. Somamos nossas conquistas, apreciamos as reviravoltas dos momentos angustiantes e seguimos como ganhadores. São momentos de otimismo expansionista, para sofisticar um pouco o raciocínio. Estamos, sempre, construindo contabilidades. Não dá para mergulhar no presente, sem um diálogo com o passado. Ele é múltiplo. Se há sensações […]




Share Read the rest of this entry »

As ressacas do domingo e o olhar de Freud




Domingo é um dia de muitos simbolismos. Não importa que haja trabalho e as mercadorias se movam sem acanhamentos. Não há aquele silêncio de outrora. Os automóveis se recolhem sem convicções maiores. Há compras urgentes. O conteúdo dos divertimentos ganhou espaços nos cartões de crédito e nas lojas frias dos shoppings. O futebol possui um […]




Share Read the rest of this entry »