Posts Tagged ‘grana’

As nações existem ou se intimidaram?

  Ninguém discute que o capitalismo se expandiu. A globalização mostra que o mercado internacional se estreita e a cultura ganha uma massificação notável. Tudo gira na rapidez das comunicações, na ação das redes sociais, nas pressões constantes por novas tecnologias. O mundo entra na corrida, sem fim, para juntar capital, afirmar o reino das […]

Read the rest of this entry »

Neymar e Chico: as vitrines traiçoeiras

A sociedade curte uma diversidade incrível de fantasias. Ela gosta de ídolos, inventa deuses, adora imagens. Diverte-se. A vida é dura, mas não custa procurar saídas e não morrer na desilusão. O capitalismo não descansa. Estamos vivendo períodos de intensas tensões e brincadeiras. A globalização não garantiu segurança. Existem muitas fronteiras armadas e uma farmácia […]

Read the rest of this entry »

A violência de cada dia

Falam que a guerra civil se estrutura, aos poucos, e surpreende. Ela produz uma inquietação agressiva. O medo se expande quando os assassinatos acontecem e oferecem um espetáculo nada agradável. Por detrás dela, existem golpes políticos, corrupções programadas, vinganças objetivas.O Rio de Janeiro assusta. Seu cotidiano ganhou sangue covarde, explodiu cofres, intimidou policiais. Não é […]

Read the rest of this entry »

Não se engane com o capitalismo

  O campo da polêmica não deve ser esquecido. Muitos vivem distraidamente. São amigos da culpa, não se sentem responsáveis por nada. A infantilização não é rara. A sociedade atravessa por abismos e está sem conhecer o caminho mais favorável. Critica-se a corrupção, as besteiras de Temer, as injúrias de Trump. Mas o buraco está […]

Read the rest of this entry »

O velório na política e os elefantes da infância

    Lembro-me de muitas músicas cantadas na infância. Aquela do elefante que incomoda muita gente me traz boas recordações. O elefante me aparece um animal simpático e inteligente. Possui um charme especial, uma memória singular. Já pensou os elefantes tomando o lugar dominante dos homens? Já pensou os elefantes arquitetando prédios, máquinas e reservatórios […]

Read the rest of this entry »

O cimento armado e as armadilhas do poder

As datas  e as ordens se sucedem de forma surpreendente. Não adiante precisão, fechar esquemas. Há desvios. Busca-se quebrar alguns rituais, mas se inventam outros. A sociedade está confusa na escolha das regras. O mercado age com habilidades, os políticos perderam caminhos e se ornamentam com discursos vazios. Uma desconfiança ganha força e gera rivalidades. […]

Read the rest of this entry »

O feitiço turbulento da grana

Na sociedade do espetáculo, as crises acontecem e provocam expectativas. Há um medo de perder  privilégios que corre solto. Mesmo quem sofre de carências básicas se assusta com as notícias. Não faltam previsões negativas, mas nem tudo virou um inferno. Há quem lucre. Nem todos perdem. A sociedade vive das desigualdades e os valores tremem […]

Read the rest of this entry »

Charlie, as vitrines, a mídia, o poder

Os negócios são complexos. Exigem rapidez e astúcia. O importante é não perder espaço de poder e procurar agitar a grana com eficácia internacional. Por isso as notícias circulam com raro senso de especialização. Elas revelam políticas e preconceitos. Desenham histórias, escolhem vítimas, estabelecem verdades, mexem com multidões. Não é à toa que as concorrências […]

Read the rest of this entry »

As aprendizagens da política

  A história (des)continua. A ambiguidade é proposital. Não se festeja concepções de mundo homogêneas, nem tampouco preconceitos culturais. As quebras e as trocas circulam pelos tempos. Tivemos a última votação da campanha para presidente. Não nada foi  fácil, pois a tensão não se retirou, recusou descanso. As idealizações trazem certo desespero e as análises […]

Read the rest of this entry »

A grana tumultua e desmonta a força dos clubes

Ninguém é ingênuo no mundo da bola. Todos sabem que manobras existem em todos os sentidos. Lamentações são feitas, pelos mais apaixonados. As torcidas padecem. São as primeiras vítimas. Pensam em disputas valorizadas pelo amor ao time. Gritam pelas suas cores. Vão aos estádios fervendo de emoção. Consagram ídolos. Ganham o dia com a vitória […]

Read the rest of this entry »