Posts Tagged ‘Hannah Arendt’

Hannah Arendt na estrada curva da história

Quando a perplexidade toma conta do pedaço, nada como procurar diálogos. A solidão consolida fantasmas, deixa ressacas e insônias. Não se deve desperdiçar a sociabilidade, nem sacudir fora a imaginação. O mundo está indo como pode. Muitos esquecem-se das utopias, simulam vivências democráticas, revelam pragmatismos pesados. Está difícil encontrar-se com encantamentos, não se assustar com […]

Read the rest of this entry »

Hannah: as massas na história e as ruínas acumuladas

Muitas vezes, tem-se a sensação de que nada se perdeu.O mundo está intacto. Há, apenas, simulacros, ornamentos, mas os abismos são os mesmos e as máscaras ocupam lugares centrais. No entanto, as ruínas estão acumuladas, disfarçadamente. Não se trata do lixo. Ele tem relação com o descartável no tempo presente. Difícil é encontrar lugar para […]

Read the rest of this entry »

Boatos, dramas, políticas,descuidos,valores

Observo que os valores se transformam com rapidez. O nosso tempo é cruel. O discurso político tenta esconder tropeços, mas termina  se desmascarando no cotidiano. As chuvas de abril e maio estão nos dando lições. Anunciam que o dinheiro público precisa de cuidados especiais. Há, contudo, coisas inevitáveis. Ninguém pode culpar governantes pelos excessos dos índices pluviométricos. No […]

Read the rest of this entry »

O pragmatismo na intensa roda-viva da política

Hannah Arendt ficou assustada com os horrores do totalitarismo. Fez das suas reflexões uma forma de luta. Deixou uma obra valiosa que mora no mundo e ajuda a decifrar presentes e passados. A violência inibiu tradições, derrubou solidariedades, desconectou pactos. Lançou as conquistas democráticas numa agonia sem igual. Nos desamparos trazidos pelo autoritarismo, Hannah observou a […]

Read the rest of this entry »