Posts Tagged ‘história’

Você conhece sua história?

    A velocidade manipula notícias, destrocando verdades e  inventando fantasias. A confusão se globaliza. Já se espalha como uma brincadeira que assombra redes sociais. Faz parte do cotidiano. A política, então, se desmonta. Quem quer mesmo mudar, refazer a solidariedade, denunciar os  grupos mafiosos? Há suspeitas imensas e cinismo elaborados com sofisticação. A  quantidade […]

Read the rest of this entry »

O pântano da dor desmancha

  Ninguém conhece uma história sem sofrimentos. A linearidade é apenas uma ficção tola, pois o coração não bate sempre no mesmo ritmo. Podemos imaginar paraísos, mas não há como negar  os desencontros e os limites. Somos animais sociais, existem cooperações, solidariedades. Insisto,porém, que a lógica capitalista é destrutiva. Ela estimula a  vaidade e o […]

Read the rest of this entry »

Ler o mundo sem descuido

    Os livros ajudam a decifrar mistérios. No entanto, o importante é se centrar no cotidiano. Observar que o desequilíbrio contínuo se prolonga. Não há como se divertir com tantas tragédias e os descuidos do poder prevalecem. Estamos encurralados, cheios de medo, aflitos com a insegurança generalizada. Existem assaltos violentos, notícias, enganações políticas, milícias […]

Read the rest of this entry »

Os farrapos da verdade e as máscaras ativadas: ” A Era Trump?”

  A política tem  frequentemente inquietado. O século XXI se apresenta com surpresas. A perplexidade traz desconsolo para muitos. No entanto, não custa buscar um olhar histórico e observar como as relações vão se constituindo. Trump não surgiu do nada, nem atende apenas aos delírios dos mais cínicos. Construiu uma figura que atende lacunas que […]

Read the rest of this entry »

A história constrói o inesperado

    Os mistérios que cercam nossa vida nos incomodam. É uma afirmação talvez absoluta e pouco crítica. Há quem não se ligue nas dúvidas e sorria diante das questões. Os que acreditam ,numa vida eternam possuem outra respiração. Há sempre o que dizer, pois a história não se esgota. O diferente aparece, uns observam […]

Read the rest of this entry »

Quem compra a vida e não mede a dor?

  Aceitar as fragilidades é desafio. Queremos fixar memórias cheias de glória. Criam-se discursos que não dispensam as mentiras e buscam inventar ilusões. Desde as lendas do paraíso que a história não é, apenas, travessia linear, mas fugas de dificuldades crescentes. A capacidade de trabalhar, de formular sociedade com ordens estabelecidas não cessam de formar […]

Read the rest of this entry »

A memória manipulada: a perda do amanhã?

  Não há como negar que, no mundo das informações, as notícias se multiplicam de forma assustadora. Desfilam versões que defendem astúcias armadas ou se inventam ídolos programados. O conceito de verdade, aliás, se estraga. Vale o sensacionalismo. Há assuntos que atraem e investem na possível nudez da vida privada. O compromisso com as provas […]

Read the rest of this entry »

Quem desconfia da lucidez programada?

  As relações de poder não podem ficar ausentes da sociedade. O paraíso é uma fantasia, pois as disputas  atiçam violências. Elas mudam suas formas. Marx destacava as lutas de classes, Mussolini queria corporações opressoras, a China busca espaços imperialistas. Quem define os limites dos poderes evitam certos descontroles. No mundo ,armado pelo autoritarismo, tensões […]

Read the rest of this entry »

A violência é histórica e expande-se

  Muitos mitos retratam violências fundantes. Nem sempre, significam uma renovação para derrubar preconceitos ou refazer práticas sociais generosas. A sociedade sonha com paraísos, mas convive com artimanhas imperiosas. Há fomes frequentes, desde os tempos mais remotos. Grupos disputam espaços como quadrilhas. Não há inocências angelicais predominando a história. Muitas religiões defendem vinganças, acumulam patrimônios, […]

Read the rest of this entry »

Nas ondas de paraísos descartáveis e de neuroses cotidianas

  Há reflexões que tentam salvar os chamados dos capitais e das maldades perenes. Os iluministas pensaram em salvações racionalistas. Não deram certo. Conhecer não significa necessariamente  fixar compromisso. Quem não sabe que existem abandono e exploração? Sempre surge alguém que justifica perdas e admite o discurso da servidão voluntária. Não só as religiões preparam […]

Read the rest of this entry »